terça-feira, 27 de agosto de 2013

Enviados para invocar o nome do Senhor

omo, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de que não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? (Rm  10.13-15)
Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de que não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? (Rm  10.13-15)

Bp Erisvaldo Pinheiro (ministrado em 18 de Agosto de 2013).


Veja que bela seqüência nesta declaração do apóstolo Paulo. Uma seqüência que pontua cada etapa do plano de salvação. Para ser salvo, tem que invocar, pra invocar é preciso crer, e para crer é necessário ouvir, para ouvir tem que haver uma pregação, e para pregar tem que ter aquele que envia. Note, atento leitor, que há todo um trabalho até chegar o momento em que alguém invoca o nome do Senhor para a salvação. Uma bela estrutura do propósito de salvação, que pretendo neste texto mostrar a tarefa e responsabilidade de cada uma dessas etapas.

  • ·         Enviar

Tarefa do Pai. Ele fez essa tarefa enviando José para o Egito:
“Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese os vossos olhos por me haverdes vendido para cá, porque, para conservação da vida, Deus me enviou diante da vossa face” (Gn 45.5)
Que belo exemplo de perdão e visão dos propósitos divinos que José declara aqui. Ele aprendeu, ainda que de forma triste, que a atitude errada de seus irmãos, o Senhor aproveitou para um propósito maior, a conservação da vida. Para José, ele não foi vendido para o Egito, foi Deus que o enviou ao Egito. Passas por momentos de tristeza, querido leitor? Invoque o Senhor, pois, Ele pode estar querendo te enviar a outros lugares para conservação da vida!  
Mais adiante, Deus enviará Moisés para este mesmo Egito, agora, a etapa do propósito é libertação:
“Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires meu povo, os filhos de Israel, do Egito” (Êx 3.10)
Na visão do profeta Isaías (Is 6.8), Deus libera um brado de seu alto e sublime trono, A quem enviarei, e quem há de ir por nós? E, desempenhado com excelência sua sublime tarefa de enviar, Ele envia seu próprio filho para seu propósito de salvação. Veja esta declaração de Jesus:


“Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim quem de mim se alimenta, também viverá de mim” (Jo 6.57)
O Filho declara que o Pai o enviou, e direciona esta missão para quem dele se alimenta. Somos enviados com Jesus para o cumprimento deste belo propósito de salvação, como você verá abaixo.

  • ·         Pregar

Sua tarefa! É aqui que nos encaixamos. Veja que grande excelência as outras etapas são cumpridas, nos responsabilizando a cumprirmos com excelência a etapa que nos é confiada. Somos enviados para pregar. Devemos investir na nossa missão, seja a pregação no púlpito ou em qualquer lugar que formos enviados, devemos nos preparar para fazermos com excelência. É a nossa tarefa.
“Pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15)

  • ·         Ouvir

Tarefa do Espírito Santo. Não que Ele deva ouvir, mas é quem nos faz ouvir a pregação. Como o próprio Cristo ensinou:
“Quem tem ouvidos para ouvir ouça o que o Espírito Santo diz às igrejas” (Ap 2.7)
O Espírito Santo nos faz ouvir a pregação nos convencendo de seu propósito, ensinamento ministrado pelo próprio Jesus enquanto pregava:
“E, quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo” (Jo 16.8)

  • ·         Crer

Tarefa do Senhor Jesus. Ele é o autor e consumador da fé:
“Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se a destra de Deus” (Hb 12.2)
Veja, querido leitor, que Jesus sendo o autor da fé, é Ele quem cria a fé em nossos corações, mas, como consumador da fé, Ele pode também consumir toda fé que Ele mesmo criou em nossos corações, se ela não for viva! Note que no mesmo texto sobre fé há uma forte declaração da atitude de Jesus. Ele suporta a cruz e despreza a afronta. Faça o mesmo querido, te afrontaram? A cruz está pesada? Tenha fé, suporte a cruz e despreze a afronta!

  • ·         Invocar

Esta é a tarefa do ouvinte. A decisão a ser tomada mediante a pregação. Cabe ao ouvinte escolher se invocará o nome do Senhor, ou não. Se invocar será salvo! Porque todo aquele que invocar no nome do Senhor será salvo.
Invocar significa chamar e clamar.
Há exímias promessas para quem invoca:
“Invoca-me no dia da angustia; eu te livrarei, e tu me glorificarás” (Sl 50.15)
“Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade” (Sl 145.18)
Mas, há uma advertência também:
“Invocai-o enquanto está perto” (Is 55.6b)

Pense nisso...

Que este propósito de salvação, muito bem elaborado pelo Senhor, seja uma realidade diária em sua vida. Somos enviados para invocar o nome do Senhor!

Que a paz do Senhor Jesus esteja em seu ministério,