domingo, 19 de outubro de 2014

Santa Ceia: a utilidade do sangue de Jesus

Este é aquele que veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo: não somente por água, mas por água e sangue (1Jo 5.6a)




Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Palavra ministrada em 19 de Outubro de 2014
em culto de Santa Ceia
Comunidade Evangélica Arca da Aliança



Pois a vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por vocês mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida (Lv 17.11)

Este é aquele que veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo: não somente por água, mas por água e sangue (1Jo 5.6a)


O sangue de Jesus é poderoso pela sua raridade. Mesmo sendo Senhor, Jesus era humano, um simples carpinteiro, e ainda assim, não houve pecado nele. Por ser puro, torna-se raro. Por ser raro, torna-se caro. De tão caro, seu sangue é valioso ao ponto de pagar todas nossas dívidas. O pecado gera morte. Mas pelo sangue de Jesus, o pecado não tem mais poder de gerar, assim, passamos a ter vida. Uma vida eterna sem pecado, que é oferecida a todos quantos crêem no poder de seu sangue.

Além de ser poderoso, seu sangue é útil. A utilidade de seu sangue é oferecida somente àqueles que estão em seu corpo. O sangue é útil para o corpo. O sangue é vida para o corpo. Fora do corpo, não há como se beneficiar da utilidade do sangue. É preciso fazer parte do corpo para ter o sangue que percorre o corpo.
Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo.                       (1Co 12.27)
 Fazendo parte do corpo de Cristo, seu sangue percorre em nós. A manutenção da vida do corpo depende da circulação do sangue em seu interior. Que jamais esqueçamos disso, que em nenhum momento deixemos de reconhecer a importância do sangue de Jesus em seu corpo, em nós. A igreja somente permanece viva pela circulação do sangue de Jesus nos seus membros. O sangue é vida para o corpo. O sangue de Jesus é a vida da igreja.

Analisemos, pois, algumas propriedades do sangue humano. Repare que suas características nos ensina ainda mais sobre a utilidade do sangue de Jesus. Por exemplo, meditemos na passagem de João. Os guardas tinham a ordem de quebrarem os ossos das pernas dos crucificados, isso aceleraria a morte dos condenados para não permanecerem na cruz no sábado, que iria ser especialmente sagrado. O Apóstolo João cita o Salmo 34 dizendo que não quebraram nenhum de seus ossos. Essa informação ganha uma compreensão ainda mais valiosa quando sabemos que o sangue é produzido dentro dos ossos. Ou seja, mesmo tendo seu sangue derramado no madeiro, sua fonte não foi "quebrada"!

O sangue tem uma parte 'sólida', algo em torno de 34% de seu conteúdo. Essa parte sólida é formada por três tipos de células com funções próprias, as plaquetas, os leucócitos e as hemácias. Observe as funções destes elementos e permita que o Espírito Santo fale contigo:

Plaquetas. São células responsáveis pela coagulação sanguínea. São muito úteis ao corpo, pois faz cessar a perda de sangue de uma área danificada, agindo na cicatrização. Repare o quanto o sangue de Jesus é útil ao corpo. Ele cura as áreas danificadas. As feridas do corpo de Cristo (a igreja) são cicatrizadas mediante a ação do seu precioso sangue. Temos feridas em nossos corações... devemos reconhecer isso. Nestes dias eu fui convidado para assistir um vídeo de momentos de família da época de minha infância. No vídeo estava toda família reunida, meus pais, irmãos, tios, primos, avós... Suspirei num momento em que meu avô, falecido há mais de vinte anos, me colocou no colo. Mas o que me marcou mesmo foi o segundo vídeo. Era um outro evento familiar, porém, meus pais não tinham ido. O vídeo me fez recordar o porquê faltávamos em algumas reuniões familiares. A recordação me doeu. Não sabia, mas a ferida ainda estava aberta. Graças a Deus, temos o sangue de seu Filho, que ainda cura nossas feridas mais escondidas de nossa alma. 

Leucócitos. São os anticorpos. Formam um verdadeiro exército contra elementos estranhos causadores de doenças. Agem também na limpeza do próprio corpo, destruindo células mortas e restos de tecido. Precisamos muito compreender essa dupla função do sangue de Jesus! O sangue de Jesus é poderoso contra o inimigo de nossas almas, e ao mesmo tempo, nos purifica. Veja que é uma dupla utilização do sangue. Ele combate e purifica. Se não purificar, o combate é inválido. Devemos ter bastante atenção nisso. O sangue de Jesus está em nosso favor, contra as astutas ciladas do diabo, e também, o sangue de Jesus está em nosso favor, tirando de nós mesmos, velhas manias e hábitos que entristecem seu Espírito.
Que essa utilidade conjunta do sangue de Jesus seja de fato aprendida por nós!

Hemácias. Realizam a respiração celular, transportando oxigênio aos mais diversos e remotos órgãos do organismo. Quanto mais esforço físico o corpo fizer, mais contribuirá para o transporte que as hemácias fazem. Veja, querido leitor, como esta utilidade do sangue é perfeitamente aplicada à função da igreja (o corpo de Cristo). Este transporte de nutrientes espirituais deve ser feito pela igreja, afinal, dentro dela percorre o sangue de Cristo. A igreja que verdadeiramente possui o sangue de Jesus, vai fazer todo esforço para transportar a mensagem da Cruz aos mais diversos e remotos povos da terra. 

Um outro fator devemos considerar. A quantidade destes três elementos do sangue devem ser balanceadas. Não podem ter mais nem menos do que o normal. Os leucócitos, por exemplo, se tiverem uma quantidade a mais do que o normal, o corpo estará com câncer, se for menos, aí o corpo apresenta Aids. Da mesma forma acontece com as plaquetas. Suas quantidades devem ser balanceadas. O único dos três elementos que pode ter uma quantidade a mais, sem causar prejuízo ao corpo, são as hemácias. Lembre-se que são elas responsáveis pelo transporte de nutrientes aos mais remotos órgãos. Não seria isso, querido leitor, um ponto que a igreja deva considerar? Verdade é que alguns de nós usamos o sangue de Jesus tão somente para curar feridas, outros usam apenas para lutar contra o adversário...  A utilidade do sangue de Jesus está nestas três funções usadas igualmente: curar, combater/purificar e transportar. Esta última, sim, pode ser usada em excesso sem prejuízo ao corpo! 


Falamos até aqui da parte 'sólida' do sangue. Precisamos pensar sobre sua parte 'líquida' também. A parte líquida é composta basicamente de água (93%). Veja a importância da água em nosso organismo. Por isso, os médicos recomendam tanto que bebamos pelos menos dois litros de água por dia. Confesso que tenho que fazer um grande esforço para conseguir isso, quando consigo!

Da mesma forma, precisamos ingerir doses diárias do Espírito Santo. Isso é necessário para que o sangue de Jesus tenha todo vigor em nós. Diante de um médico não podemos nos desculpar argumentando que tomamos dois litros de água na quarta e também no domingo. O recomendado é que seja todos os dias. Estamos diante daquele que disse os sãos não precisam de médico, mas sim os doentes. Não apenas em dias de culto, devemos saciar nossa sede com o Espírito Santo durante sete dias por semana! A água do Espírito tem fundamental importância no corpo de Cristo. O problema é que existem muitos crentes desidratados!

Pense nisso...

Que o Espírito no convença sobre essas coisas. Que possamos utilizar corretamente o sangue de Cristo, para curar feridas, combater o exterior/purificar o interior, e transportar os nutrientes do Evangelho aos que estão longe. Nunca esquecermos que sem a água, o corpo desidrata. O sangue precisa da água. O corpo precisa de água e sangue. A igreja precisa da ação contínua do Espírito e da obra expiatória do sangue de Jesus.


Que o sangue derramado seja compensado com frutos para o Reino!
Graça e paz.

sábado, 4 de outubro de 2014

Sacerdote Zacarias e o Eterno Sacerdote


Sacerdote Zacarias e o Eterno Sacerdote


E o povo estava esperando Zacarias e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo. (Lc 1.21)

Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Palavra ministrada em 28 de Setembro de 2014
 C E Arca da Aliança



O primeiro capítulo do Evangelho de Lucas

O Evangelho de Lucas começa e termina com a mesma cena. A cena inicial está incompleta. Somente se tornará completa no último capítulo do Evangelho. A cena inicial mostra o sacerdote Zacarias no templo exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem de sua turma, enquanto o povo esperava do lado de fora. Três coisas os sacerdotes faziam ao saírem do templo (Lv 16):
  1. Quando o sacerdote aparecia de volta, trazia o perdão de Deus
  2. Comunicava a Palavra de Deus
  3. Erguia a mão e abençoava o povo
Por isso, o povo estava esperando Zacarias e maravilhava-se de que tanto se  demorasse no templo.

Mas naquele dia, não aconteceu o esperado. Algo acontecera lá no Santo dos Santos e Zacarias saiu mudo, saindo ele, não lhes podia falar. Naquele dia, no turno do sacerdote Zacarias, a Palavra não foi comunicada e o povo não foi abençoado. A cena ficou incompleta.


O último capítulo do Evangelho de Lucas

A cena inicial do Evangelho de Lucas vai se tornar devidamente completa no seu último capítulo. Três coisas importantes acontece, veja (Lc 24):

  1. Jesus ressuscita, trazendo o perdão de Deus

As mulheres foram as primeiras a testificar essa boa nova. Pedro também testificou, admirando consigo mesmo aquele caso. Mas é o trecho dos dois discípulos a caminho de Emaús que vou destacar aqui, por um único motivo, eles estavam tristes. Eles saíram de Jerusalém tristes e fazendo perguntas um ao outro. Eles retornam para a mesma Jerusalém com a boa notícia, Jesus entrara em sua casa e havia ceado com eles!

Se o povo se alegrava com o retorno do sacerdote, imagine a alegria desses discípulos! O texto sagrado diz que eles na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém. Oro para que essa mesma alegria seja nos corações dos novos discípulos do Senhor, que a notícia de sua ressurreição ainda seja uma boa notícia para nós, que ainda possamos suspirar pelos pecados perdoados! Como disse um dos pais da reforma, Thomas Watson, enquanto o pecado não for amargo, Jesus não será doce.

        2. Jesus comunica a Palavra de Deus


No partir do pão os dois discípulos reconheceram que era o próprio Jesus que estava com eles já algum tempo. Reconheceram que por ventura, não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava e quando nos abria as Escrituras? Em outras palavras, o tempo todo Jesus comunicava a Palavra de Deus. E quando Jesus comunicava a Palavra, a sensação que os discípulos tiveram era que as Escrituras se abriam diante deles! Que sejamos ainda, o povo que escuta Jesus comunicar sua Palavra, que a mensagem bíblica venha se abrir diante de nossos olhos!

Estando os discípulos congregados e falando essas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles e disse-lhes: Paz seja convosco. Após um momento inicial de euforia, Jesus começa comunicar a Palavra de Deus e abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.

Cristo lembra seus discípulos que Ele deveria padecer, mas que ressuscitaria dos mortos, e, por isso, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados. Quem tem ouvidos para ouvir ouça...

        3. Jesus ergue as mãos e abençoa o povo


O Senhor Jesus, então, levou seus discípulos até Betânia. A pequena aldeia que vivera momentos de glória, sendo palco da ressurreição de Lázaro, da cura de um leproso, da singela adoração de Maria aos pés do Senhor e de várias orações no Monte das Oliveiras (confira com At 1.9-12).

Ali, Jesus ascendeu aos céus . Deixou uma missão à sua igreja, e levantando as mãos, os abençoou. 

Ali, naquela mesma Betânia, no mesmo Monte das Oliveiras, estarão mais uma vez, os seus pés (Zc 14.4). O Senhor Jesus, então, levantará suas mãos e iremos prestar contas do que fizemos com a missão que nos confiou!

Pense nisso...

A cena do início do Evangelho de Lucas se completa em seu último capítulo. Zacarias volta ao povo sem palavras, estava mudo. Jesus, por sua vez, volta aos seus discípulos abrindo-lhes as escrituras e fazendo seus corações arderem. O sacerdócio humano é substituído pelo sacerdócio de Cristo. De temporário, passa a ser eterno. Isso é glorioso!

 Que a paz do Senhor Jesus seja convosco, Amém.


Fonte de pesquisa:
Aula ministrada pelo Pastor Mestre Airton Williams na Sociedade de Estudos Bíblicos Interdisciplinares (SEBI) em 27 de Setembro de 2014

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Jesus ressuscitou Lázaro, mas as pessoas que devem remover a pedra

Tiraram, pois, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou, por me haverdes ouvido. E, tendo dito isso, clamou com grande voz: Lázaro, vem para fora. (Jo 11.41,43)


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Palavra ministrada no culto no lar do Dc João Henrique
Em 27 de Setembro de 2014


Parece que está demorando...

As duas irmãs mandam um pedido para Jesus. O irmão delas, Lázaro, estava enfermo. Jesus o amava. Era amigo do Senhor. Marta e Maria não recebem a resposta do pedido, não do jeito que elas esperavam. A Palavra diz que Jesus ainda ficou dois dias onde estava. A situação piora, Jesus sabe disso e comenta para seus discípulos essa enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus.

Também fazemos pedidos pro Senhor. Situação que na nossa ótica são tão emergenciais a ponto de querermos uma resposta o mais rápido possível. Nessas horas, parece que nada acontece. Nessas horas, devemos olhar para esse texto e percebermos que a aparente demora de Jesus é para glória de Deus.

Nossas atitudes influenciam a resposta de nossos pedidos  

Ao ficar sabendo que Jesus estava vindo, Marta sai correndo ao seu encontro. Sua atitude e declaração refletem nossas reações diante de um grave problema. Marta questiona o Mestre, afirmando que se Ele estivesse ali, seu irmão ainda estaria vivo, ou seja, se Jesus tivesse feito algo, as coisas estariam melhor, se Jesus realmente tivesse dado ouvidos, as coisas estariam de outro jeito, se Jesus se importasse... O resultado dessa cobrança foi imediata. Jesus, que estava a caminho do sepulcro, parou sua caminhada. Nossas atitudes desenfreadas tendem a parar o agir de Deus em nosso favor.

Maria fez diferente. Note que ao chegar junto ao Mestre, Jesus ainda estava no mesmo lugar onde Marta o encontrara. Jesus estava parado, e só voltou a andar depois da conversa com Maria.

Ao chegar diante do Senhor, aparentemente Maria pronunciou as mesmas palavras que sua irmã. Mas, o que Jesus ouviu foi uma adoração, ela se ajoelhou ao seus pés! Marta cobrou, Maria adorou. Com Marta, Jesus parou. Com Maria, Jesus voltou a andar na direção do sepulcro!

Note no texto que Marta mais uma vez usa de seus argumentos desenfreados. Ela mais uma vez enfatiza que seu irmão jazia há quatro dias... A sequência do milagre é mais uma fez interrompida. Jesus mais uma vez ministra uma palavra a Marta Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?
 
Todos nós temos um Lázaro morto, que precisa ser ressuscitado pelo Senhor, nossas atitudes, porém, param ou colocam nosso milagre em movimento. Que o Espírito nos convença disso!

Removendo as pedras

Jesus operou um maravilhoso milagre. O que jazia há quatro dias, ouviu a potente voz do Senhor! Jesus libera uma palavra que é uma verdadeira ordem: Lázaro, vem para fora. Oh que voz poderosa, de fato, a voz daquele que tem Palavras de vida eterna!
 
Aqui, um pequeno detalhe nos ensina uma grande lição. Jesus ressuscita Lázaro, mas foram as pessoas que tiveram que remover a pedra. O Senhor Jesus ordenou e continua ordenando tirai a pedra. O milagre é por conta dEle, o mais difícil Ele o faz. O Senhor Jesus é que pode gerar vida e vida em abundância. A nós, nos resta remover a pedra!

Que o Espírito nos convença qual é a pedra que é tampa de sepulcro em nós. Que sejamos humildes o bastante para ouvirmos sua mansa e delicada voz, nos convencendo qual é a pedra que precisamos remover para que o nosso Lázaro volte a ter vida. Seja a pedra do orgulho, da vaidade, da incredulidade, da impaciência, da concupiscência... precisamos remover toda e qualquer pedra de nossos corações...

Pense nisso...

O texto da ressurreição de Lázaro é um dos mais belos textos dos Evangelhos que trata do agir e do amor do Senhor Jesus. Ele demonstra que se importa com aquela família. Até mesmo a desenfreada Marta recebe uma bela declaração de amor: ora, Jesus amava Marta. É um texto que mostra Jesus chorando e se movendo de íntima compaixão. É um texto que nos prova o quanto ele se importa com o seus amigos.

Mas seu agir depende de nossas atitudes. Precisamos aprender que o seu tempo é diferente do nosso. Devemos ser moldados pela sua palavra até que nosso jeito desenfreado seja substituído pelo silêncio da adoração. E ainda, precisamos remover toda e qualquer pedra de tropeço de nossos corações. Assim, sua poderosa voz continuará ressuscitando nossos Lázaros.



Que a paz daquele que ressuscitou Lázaro esteja em vós.


Fonte de estudo:
Bíblia Revelada - Novo Testamento - Ômega. Traduzida, comentada e editada por Aldery N. Rocha