quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Eaê Deus, tudo bem?



Eaê Deus, tudo bem? - Busque essa intimidade com o Senhor!

1 Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens,2pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e sossegada, em toda a piedade e honestidade.3Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,4o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.5Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem,6o qual se deu a si mesmo em resgate por todos, para servir de testemunho a seu tempo;7para o que {digo a verdade, não minto} eu fui constituído pregador e apóstolo, mestre dos gentios na fé e na verdade.8Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda. (1 Timóteo 2, 1-8)



Pastor José Roberto
Palavra Ministrada em 21 de setembro de 2014
Na Igreja Batista Vidas em Resgate

Paulo, em seu objetivo de auxiliar o jovem Timóteo, escreve essa Carta com orientações para dirigir a Igreja de Éfeso. Entre essas orientações está a necessidade da pratica de oração.

Nesse tempo em que estamos verdadeiramente em transição fazemos muitas críticas aos nossos políticos, tantos aos que estão no poder como aos que almejam estar. A nossa meditação é, nesse momento, mais que pertinente: “como servos de Deus, como estamos nos posicionando?” Quem não conhece esse pastor que escreve pode pensar que iremos misturar política com a Palavra. Ledo engano. Mas como sal da terra e luz do mundo (Mt 5, 13-14) devemos fazer a diferença. E de que forma o crente pode (e deve) fazer a diferença dentro do cenário político do país? Bem devemos fazer uso da orientação de Paulo a Timóteo: Oração.

O crente deve ter sempre uma prática de oração. Isso é uma orientação que se aprende ainda na Escola Bíblica, no entanto são poucos que mantém essa prática na intensidade necessária. Exemplo: No pé do monte das Oliveiras Jesus fica decepcionado com os discípulos que ficaram vigiando e foram encontrados dormindo: “Voltando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? não pudeste vigiar uma hora?” Mc 14,37 Então seria o mínimo da nossa oração, uma hora. Será que temos conseguido “bater esse tempo” em oração?

Por quem orar? Temos uma prática do caderninho de oração onde colocamos todos os nossos propósitos e petições (súplicas, orações, intercessões e ações de graças v.1). E vamos apresentando tudo o que está escrito no caderno e o Espírito Santo nos traz a lembrança nomes que devemos apresentar em particular. Se você tiver disciplina e zelo com essa prática, com certeza você vai orar mais que uma hora por dia apresentando os citados em seus escritos.

Temos lembrado dos nossos governantes? Será que no seu caderninho (pra quem já tem essa prática) tem o nome de algum político? Do seu chefe? De alguém que exerça autoridade sobre sua vida? Isso Paulo orienta de forma categórica e diz que isso é bom e agradável a Deus. Nós temos o chefe que merecemos. Ore pelo seu chefe, pelo seu administrador, prefeito, governador, presidente, comandante da Polícia Militar, Polícia Civil, toda autoridade, pois toda autoridade foi instituída por Deus: “Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus.” Rm 13,1

Oração Gera “vida boa” “para que tenhamos uma vida tranquila e sossegada, em toda a piedade e honestidade.3Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,4o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” vv 3-4 a oração te leva para perto de Deus, para intimidade com Deus. E não podemos ter uma vida plena fora da presença de Deus. ELE está sempre disponível a te escutar. Devemos nos manter em espírito de oração em todo tempo. Sensíveis ao doce toque do Espírito Santo de Deus.

Ore em qualquer tempo, em qualquer lugar, não perca a oportunidade de conversar com Deus. Tenha intimidade com Deus a ponto de sentir a Presença dEle e poder responder: “E aê Deus, tudo bem?”

Portanto meus irmãos, vamos viver a prática da oração, orando por todos, em todos os momentos, buscando essa intimidade com Deus. Fica essa dica desse humilde pastor. Responda ao chamado à oração de um jeito próprio, como um filho e nunca esquecendo da reverência. Experimente: “E aê Deus, tudo bem?” e inicie sua conversa com o Seu Pai Celestial.

Que o Nosso Senhor Jesus abençoe a todos.

Santos, irrepreensíveis e inculpáveis

santos irreprensíveis inculpáveis


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Palavra ministrada em 21 de Setembro de 2014
C. E. Arca da Aliança

No corpo da sua carne, pela morte, para, perante ele, vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis, se na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé e não vos moverdes da esperança do evangelho. (Colossenses 1.22-23a)

Nosso Senhor Jesus vai apresentar seus escolhidos diante das ordens celestiais. Uma apresentação grandiosa e uma descrição magnífica ... santos, irrepreensíveis e inculpáveis!

Veja nessa mensagem, querido leitor, a situação da igreja dos colossenses, tão parecida com a nossa, e o combate que Paulo faz usando a pura Palavra de Deus. Minha oração é que o Santo Espírito fale contigo...

  • Aos Colossos e a nós:

A igreja dos colossenses é fruto da obra missionária de Paulo em Éfeso. Foram três anos (At 20.31)
de intenso trabalho cujo resultado alcançou toda região da Ásia Menor (At 19.10). Um lindo trabalho que começou de forma tão poderosa, mas com o passar dos tempos, falsos ensinos iam se infiltrando na igreja.

Mesmo distante, o Apóstolo Paulo combate os falsos ensinos ministrando a genuína Palavra de Deus através de sua carta. Contra falsos ensinadores e falsos ensinos, a esperança do futuro da igreja é a poderosa Palavra de Deus!

Os falsos mestres ensinavam que a salvação em Cristo pregado pelos Apóstolos não eram suficientes para plena salvação do homem. Filosofia humana, visões sobrenaturais, rituais religiosos estavam sendo acrescentados ao Evangelho pregado em Colossos.

Contra esses ensinos inúteis, Paulo faz uma das descrições mais fantásticas do Senhor Jesus. Acredito que o apóstolo queria que a igreja olhasse para essa descrição e concluíssem que não precisariam de mais nada. Somente esse Cristo basta, veja:
o qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus, e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é o cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do Pai que toda plenitude nele habitasse e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue de sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus. (Cl 1.15-20)
 
Essa majestosa obra do Senhor Jesus se torna ainda mais poderosa. Paulo, inspiradíssimo pelo Espírito, direciona a majestosa obra do Senhor às pessoas que estavam ali. O finalidade de todo esse poderio descrito é reconciliar as pessoas até Cristo, veja:
A vós também, que noutro tempo éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora, contudo, vos reconciliou no corpo da sua carne pela morte (1.21-22a)

Ainda que fôssemos estranhos e inimigos no entendimento, cheios de obras más... pelo sangue de sua cruz, O Senhor Jesus nos apresentará, perante ele, santos, irrepreensíveis e inculpáveis!

Isso é glorioso demais. Oh meus amados, que essa descrição de nosso Senhor esteja também em nossos corações. Que ao olhar para nossa situação pecadora de hoje, possamos ter a esperança de que ouviremos da boca de nosso Redentor que somos santos, irrepreensíveis e inculpáveis. Essa obra descrita aqui é perfeita, é suficiente, não precisa acrescentar dogmas humanos... Jesus e sua cruz basta!
 
  • Condição "SE"

Essa apresentação honrosa que Jesus fará de seus escolhidos, descrevendo-os como santos, irrepreensíveis e inculpáveis, será apenas para aqueles que permanecerem fundados e firmes na fé e não se moverem da esperança do evangelho, veja:
para perante ele, vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis, se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé e não vos moverdes da esperança do evangelho (1.23a)

A obra do Senhor Jesus descrita nesse texto de Colossenses é grandiosa. Ele fez uma obra perfeita em nosso favor. Ele fez muito por nós, e nos pede apenas duas coisas: , firme e fundada, e esperança do evangelho!

Não é muita coisa, mas também não uma fé e esperança qualquer. A fé pedida aqui deve estar fundada e firme. Seu fundamento é o fundamento do apóstolos (Ef 2.20). A pessoa deve permanecer nessa fé. Isso ensina que muitos passarão por essa fé, mas o que vale é permanecer,, alguns começarão, mas o que importar é permanecer nessa féA esperança pedida neste texto é a esperança do evangelho, não podemos nos mover dessa esperança. O evangelho é o poder de Deus para salvação (Rm 1.16). Não podemos sair dessa esperança. 


Medite nisso...

Uma descrição perfeita de Cristo, cujo clímax é a reconciliação humana. Pelo sangue de sua cruz, o Senhor Jesus nos apresentará como santos, irrepreensíveis e inculpáveis. Uma obra fantástica acompanhada de uma promessa magnífica. Duas coisas apenas Ele nos pede: fé e esperança. Portanto, irmãos, aconteça o que acontecer, permaneça firme e fundado na fé e nunca se mova da esperança do evangelho. O fim, vale a pena!

Que a paz de nosso Senhor Jesus esteja sobre ti.


Fonte de pesquisa:
Bíblia de Estudo Pentecostal - Editora CPAD

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Jeremias e o caminho apertado

O caminho apertado é dificil de andar, mas vale a pena, pois leva à vida!


Então, falou Jeremias, o profeta, a Hananias, o profeta, aos olhos dos sacerdotes e aos olhos de todo o povo que estava na Casa do Senhor. (Jr 28.5)

Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontram.
(Mt 7.13-14)


Bp Erisvaldo Pinheiro
Palavra ministrada em 17 de Agosto de 2014



Falou Jeremias, o profeta, a Hananias, o profeta

Ambos eram profetas aos olhos de todo povo que estavam na Casa do Senhor. Ambos tinham o mesmo ofício, falavam ao povo, ambos eram parecidos em suas funções. Mas não aos olhos daquele que tudo vê! Para o Senhor, havia uma diferença vital entre eles.

Ainda existem profetas e profetas nos dias de hoje. Levitas e levitas, obreiros e obreiros, ministros e ministros... ofícios idênticos, porém com frutos diferentes. Na sequência do versículo lido, vemos o quanto aqueles profetas se distinguiram. A palavra de Jeremias prevaleceu, enquanto que Hananias teve um fim trágico.

Embora ambos fossem profetas, uma única diferença havia entre eles. Jeremias andava no caminho apertado e Hananias, por sua vez, se deleitava no caminho espaçoso. O Senhor Jesus declarou de forma bem clara no Sermão da montanha que o caminho espaçoso conduz à perdição e o caminho apertado leva à vida!

Numa leitura do livro do profeta Jeremias, entre os capítulos 15 e 20, vemos algumas situações que explica como era o caminho apertado que o homem de Deus trilhava. Olhando para essas situações, podemos nos analisar e percebermos se estamos nesse caminho apertado, como Jeremias trilhou, ou se estamos no caminho espaçoso, como Hananias estava. Veja, querido(a) irmão(a), essas quatro situações e permita que o Espírito do Senhor fale contigo:

No caminho apertado...

1- Não é fácil andar. Imaginando um caminho apertado, supomos que uma caminhada ali não deve ser tarefa fácil. Num longo caminho apertado, cada passo será dado com atenção e muito cuidado. Por ser apertado, as paredes em volta podem machucar o andarilho. Assim aconteceu com Jeremias. Fato registrado em seu capítulo 20, onde um certo sacerdote, presidente na Casa do Senhor, por nome Pasur, mandou açoitar o profeta e o prendeu no cepo. Esse sacerdote não estava no mesmo caminho de Jeremias. Ser sacerdote da Casa do Senhor não é garantia de se estar no caminho apertado. E ainda, essas pessoas que estão num caminho espaçoso tendem a perseguir os que estão no caminho apertado. Mesmo assim, o profeta de Deus continuou pronunciando a Palavra de Juízo do Senhor. Pasur e toda a nação que se deleitava no caminho espaçoso não demorariam a enfrentar o terror de todos os lados!

2- Não adianta se apressar. Querer apressar as coisas de Deus mostra imaturidade espiritual. Cada promessa do Senhor acontece em seu determinado tempo. É o tempo do Senhor. No capítulo 17 vemos Jeremias profetizar sobre o cativeiro de Judá, mas o povo ironizava o profeta perguntando onde está a palavra do Senhor? Venha agora! O irônico povo testava o profeta querendo que a palavra se cumprisse logo. A resposta do profeta mostra o quanto ele estava debaixo do propósito de Deus. Jeremias disse não me apressei ser pastor... Para andar num caminho apertado, não adianta se apressar!

3- Vai ter bifurcações. As condições sempre vão aparecer para quem está no caminho apertado. São momentos de escolhas e decisões que vai fazer com que o andarilho permaneça, ou não, nesse caminho que leva à vida. As condições que o Senhor apresentou para Jeremias foram se apartares o precioso do vil, serás como minha boca (15.19). Oh qual precioso é ouvir do Senhor a possibilidade de ser como sua boca! Para isso, o profeta deveria apartar o precioso do vil. Precioso é algo de alto valor, e vil é qualquer coisa de valor pequeno. Para permanecer no caminho apertado e continuar sendo 'boca de Deus', o preço alto deveria ser separado daquilo que é vil. Cristo pagou esse precioso valor por nós na cruz do Calvário, e isso deve ser apartado de todo evangelho barato que puder ser apresentado. E, ainda, resta a nós, pagar um preço em oração, em jejum, em busca e dedicação. Não podemos nos acostumar com vil, com uma vida sem valor, sem esforço, sem dedicação. Essas escolhas que fazermos nos momentos de bifurcações são determinantes para permanecermos no caminho apertado.

4- Tem que ser remodelado e ajustado. Nos capítulos 18 e 19 vemos um vaso sendo feito e um outro vaso já pronto. O vaso sendo feito estava nas mãos do oleiro que o remodelava até ficar conforme o que pareceu bem aos seus olhos fazer. Por outro lado,  o vaso já pronto tinha sido comprado, fora quebrado diante do povo e não pode mais refazer-se. Para permanecermos no caminho apertado, devemos ser constantemente remodelado e ajustado. Para isso, devemos ser um vaso sendo feito. Um vaso em formação. Um vaso que ainda está sendo construído. Nada de sermos vasos prontos. Nada de dizer que já estamos prontos, que já estamos preparados... Vasos prontos são facilmente comprados, podem ser quebrados diante do povo e nunca mais se refazer. Vaso sendo feito, porém, nunca pode ser vendido, pois ainda está na mão do oleiro. Vasos sendo remodelados, podem até se quebrarem, mas se quebram nas preciosas mãos do oleiro, que continua trabalhando no barro até ter forma novamente. Jeremias era sempre remodelado pelas mãos do Senhor, era vaso sendo feito, e por isso, permanecia no caminho apertado.

Pense nisso...

O caminho apertado não é fácil de andar, por isso não adianta ter pressa. Vai ter momentos de escolhas cruciais e constantes remodelações. Mas seu final é convidativo: leva à vida!
Foi Jeremias que ouviu de Deus essas palavras de vida:
"Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes." (33.3)
Hananias, o profeta, não escutou isso! 

Que o Espírito nos convença acerca dessas coisas.

 

Fonte de pesquisas:
Bíblia de Estudo Pentecostal