sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Estudo bíblico: o verdadeiro jejum

O verdadeiro jejum nos moldes bíblicos
Isaías 58

Isaías 58 - O verdadeiro jejum


A religiosidade vazia de Israel é exposta neste capítulo. O povo de Deus tinha assumido uma posição "santarrona" durante os cultos, acompanhado de votos de jejuns ostentosos, mas seguidos das mesmas antigas ações impiedosas e maldosas. Verdade é que nenhum ato religioso tem importância se não for acompanhado de uma vida piedosa, com observância da Palavra e uma sincera compaixão para com aqueles que estão passando por necessidades.

O profeta declara o pecado e transgressão de Israel, ao mesmo tempo em que eles procuravam Deus a cada dia e tinham prazer nos caminhos do Senhor. Uma religiosidade em atitudes de bondade para com o próximo. Certamente, uma prática que deve ser meditada pelos humildes servos do Senhor.

Deus passa seu “raio-x” e enumera 10 atos que constituíam (e continua sendo) erradamente o jejum de Israel. Veja:

  • Questionamentos - v.3
  • Afligir a alma para atrair a Deus - v.3-5
  • Contentar-se, ou seja, uma atitude de inércia espiritual - v.3
  • Requerer todo trabalho, acumulando em si a glória - v.3
  • Contendas e debates - v.4
  • Ferir com o próprio punho - v.4
  • Fazer ouvir a voz em público, situação que foi combatido pelo Senhor Jesus no Sermão do Monte - v.4
  • Inclinar cabeça como o junco, causando a impressão piedosa - v.4
  • Estender debaixo de nós saco e cinza
  • Ter uma feição triste, desfigurando o rosto para ser visto pelos homens. Situações também combatidas pelo Senhor Jesus no Sermão do Monte.

Assim, Deus declara exatamente como é o jejum que Ele aceita:

  • Soltando as ligaduras da impiedade - v.6
  • Desfazendo as ataduras do jugo - v.6
  • Deixando livre os quebrantados - v.6
  • Despedaçando todo jugo - v.6 (repare o quanto essas expressões são fortes, mostrando o quanto esses atos impiedosos devem ser combatidos)
  • Repartindo o pão com o faminto - v.7
  • Recolhendo em casa os pobres desterrados - v.7
  • Cobrindo o nu - v.7
  • Não se escondendo daqueles que são nossa carne - v.7
  • Tirando do nosso meio o jugo - v.9
  • Tirando o estender o dedo - v.9
  • Tirando o falar vaidade - v.9
  • Abrindo a alma ao faminto - v.10
  • E fartando a alma aflita - v.10

Em seguida, o Senhor lista as belíssimas consequências e promessas desse verdadeiro jejum:

  • A tua luz romperá como a alva - v.8
  • A tua cura apressadamente brotará - v.8
  • A tua justiça irá adiante a tua face - v.8
  • A glória do Senhor será a tua retaguarda - v.8
  • Clamarás e o Senhor te responderá - v.9
  • Gritarás e o Senhor dirá: Eis me aqui - v.9
  • Tua luz nascerá nas trevas - v.10
  • A tua escuridão será como o meio-dia - v.10
  • O Senhor te guiará continuamente - v.11
  • Fartará tua alma em lugares secos - v.11
  • Fortalecerás teus ossos - v.11
  • Será como um jardim fechado - v.11
  • Será como um manancial cujas águas nunca faltam - v.11
  • Os que de ti procederem edificarão os lugares antigamente assolados - v.12
  • Levantarás os fundamentos de geração em geração - v.12
  • Chamar-te-ão reparador de rotura - v.12
  • Chamar-te-ão restaurador de veredas para morar - v.12



Bases bíblicas para o jejum


 
Jejum e oração não devem ser usados como moeda de troca para nos fazermos merecedores da bênção do Senhor. Na verdade, imerecidos que somos (Rm 3.23), a prática do jejum e oração ajuda a nos alinharmos com a sua Palavra e a sua vontade soberana.

1- Exemplos de Jejum bíblico
  • Demônios eram expulsos (Mt 17.14-21)
  • Presbíteros eram consagrados (At 14.23)
  • Nínive foi salva do juízo divino (Jn 2-3)
  • Israel celebra um dia de jejum - Dia da expiação (Nm 29.7; At 27.9)
  • Paulo jejuou 3 dias (At 9.9)
  • A igreja de Antioquia jejuou (At 13.2)
  • O Senhor Jesus começou seu ministério com jejum (Mt 4.2)

2- Tipos de jejum
  • Normal: abstinência de alimento, mas não de água (Mt 4.2)
  • Absoluto: abstinência de alimentos e água (At 9.9; Êx 34.28)
  • Parcial: abstinência de certos alimentos (Dn 1.12)

3- Formas de jejum
  • Regular, geralmente coletivo (Lv 23.27; At 27.9; Zc 8.19)
  • Público (IICr 20.1-4; Jr 3.6-7)
  • Ocasional ou emergencial (Ed 10.3-5; Js 7.6)
  • Convocado (Ed 8.21-23; Et 4.16-17)
  • Pessoal (Dn 9.2-3)

4- Propósitos do jejum
  • Buscar direcionamento de Deus (Dt 5.31)
  • Receber a Palavra (Dt 9.9-11)
  • Interceder pela nação (Dt 9.18-20; 25-29; Dn 9.3)
  • Enfrentar satanás e suas tentações (Mc 9.29; Mt 4.1-2)
  • Para humilhar-se diante do Senhor (Sl 69.10; Ed 8.21)

5- Duração
  • Deus deve nos dar a direção
  • Uma noite (Dn 6.18)
  • Um dia (Ed 8.21-23)
  • Três dias (Et 4.3)
  • Vinte e um dias (Dn 10.2-3)
  • Quarenta dias, Moisés (Êx 24.18; 34.28; Dt 9.9-18); Elias (IRs 19.8); Jesus Cristo (Mt 4.2)

6- Quando devemos jejuar
  • Quando o Espírito Santo nos orienta (Lc 4.1-5)
  • Quando a igreja é chamada para isso (Jl 1.14-2.15)
  • Quando se prepara para o ministério (Mt 4.2)

7- Como jejuar?
  • Arrependimento e perdão (IJo 4.8)
  • Ore sem cessar (ITs 5.17)
  • Não faça propaganda (Mt 6.16-18)
  • Devemos nos humilhar (Sl 35.13)

Se você tem problema de saúde, a prática do jejum deve ser antecedida pela orientação médica. Jejum não é contra o nosso corpo, mas contra a nossa carne. Não é regime e nem penitência.
 
 
Que o Santo Espírito nos direcione ao verdadeiro e importante ato de jejuar


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Estudos ministrados durante o mês de Fevereiro de 2017
Comunidade Evangélica Arca da Aliança 

Fontes de pesquisas:

Bíblia de Estudo Pentecostal
Bíblia de estudo Dake - Finis Jennings Dake
Comentário Bíblico Moody - Editado por Everett F. Harrison
Restaurando doutrinas da Igreja do primeiro século: manual para formar discípulos. Marcelo Miranda Guimarães. Ed. Ames


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Batalha Espiritual: Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas

Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas e suas influências no nosso dia-a-dia

Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas e suas influências no nosso dia-a-dia

Há uma realidade espiritual invisível e ativa que atua em nosso meio (2Rs 6.15-17). Isso nos deixa em meio à uma luta espiritual, onde nossa perseverança em oração e o avanço no conhecimento da Palavra do Senhor podem realizar proezas (Dn 11.32). Uma das ações do inimigo é aprisionar pessoas, deixando-as em situações deploráveis (Lc 13.16). Por isso, o Senhor Jesus se manifestou para tirar pessoas das trevas e conduzi-las para sua luz (At 26.18, 1Jo 3.8). Isso diferencia o Reino de Luz e o Império das Trevas:

  • Reino de Luz:

Formado pelos anjos que não participaram da rebelião do Luzeiro. São os anjos fiéis que permaneceram subordinados ao Senhor. São mais elevados que o homem em dignidade (Sl 8.6). São chamados de santos pelo seu caráter (Jó 5.1), pois foram criados em santidade (Jd 6). Não se casam e nem se reproduzem (Mt 22.30, Mc 12.25). Não podem morrer (Lc 20.36). Possuem considerável poder (2Pe 2.11). São mensageiros de Deus à serviço da salvação e dos servos do Senhor (Hb 1.14, Ap 22.9).

São organizados em pelo menos três categorias:
QUERUBINS, guardiões ligados à santidade de Deus, com rosto de homem, rosto de leão, rosto de boi e rosto de águia (Gn 3.24, Ez 10.1-22, Ex 25.18-22, Ap 4.6-9);
SERAFINS (consumir com fogo), ligados à adoração de Deus (Is 6.1-7, Ex 1.5-14). 
ARCANJOS: guerreiro(s) que executa tarefa especial (Jd 9, Dn 10.13, Ap 12.7-8, 1Ts 4.16).

Na Bíblia, aparece apenas os nomes de Miguel e Gabriel. Os livros apócrifos acrescentam Rafael e Uriel.

  • Império das trevas  

Formado pelo anjo Luzeiro e pelos outros anjos caídos que participaram de sua rebelião. Seu privilégio inicial, seu pecado e a consequente punição:
Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado.
Você foi ungido como um querubim guardião, pois para isso eu o determinei. Você estava no monte santo de Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes.
Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se achou maldade em você.
Por meio do seu amplo comércio, você encheu-se de violência e pecou. Por isso eu o lancei em desgraça para longe do monte de Deus, e eu o expulsei, ó querubim guardião, do meio das pedras fulgurantes.
Seu coração tornou-se orgulhoso por causa da sua beleza, e você corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor. Por isso eu o atirei à terra; fiz de você um espetáculo para os reis.

Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.

Nomes:
Satanás – significa acusador (Jó 1:6)
Destruidor – hebraico: Abadom, grego: Apoliom (Ap 9:11)
Belzebu – significa rei das moscas (Mt 12:24)
Belial – significa imprestável (2 Co 6:15)
Inimigo – ele nunca está do nosso lado (1 Pe 5:8)
Diabo - significa mau, difamador (Mt 4 e Lc 4)
Lúcifer - significa luzeiro, filho da alva (Is 14.12)

Seus títulos:
maligno (Jo 5.19)
tentador (1Ts 3.5)
príncipe deste mundo (Jo 12.31)
deus deste século (2Co 4.4)
príncipe das potestades do ar (Ef 2.2)
acusador (Ap 12.10).

Suas representações:
serpente (Ap 12.9)
dragão (Ap 12.3)
anjo de luz (2Co 11.14)

Tem personalidade homicida, mentirosa e adversária (Jo 8.44, 1Pe 5.8).

Possui limitações (1Jo 4.4, 5.18, Pv 18.21, Ef 5.19-21, Tg 4.7). Não consegue ler nossa mente (Sl 139). Não pode contra a igreja do Senhor (Ef 6.11, Lc 10.19, Mt 16.18).


  • Satanás

Significa “aquele que resiste, que se opõe, que ataca”. Sua ação é pouco mencionada no Velho testamento. E em alguns casos, sua ação era ordenada pelo próprio Deus. Veja estes versículos:

E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele. 1Sm 16.23

Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel.

E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor.
Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?
Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do anjo.
Então respondeu, aos que estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniqüidade, e te vestirei de vestes finas.

E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.

Repare que nos casos de Jó e Saul, a ação de satanás vinha das ordenanças de Deus. Já nos casos de Davi e Josué, satanás aparece em cena influenciando e se opondo contra os líderes de Israel.

Ainda assim, a mais que esses trechos acima, pouco é mencionado da ação de satanás no Velho Testamento.



  • Diabo

Significa “mau, difamador”.

No Velho Testamento não aparece a palavra diabo. O significado do seu nome parece um pouco mais forte que o significado de satanás. Nisto está a diferença entre satanás e diabo. Esse conceito de ‘mal’ somente é revelado no Novo Testamento. Jesus Cristo revelou claramente a verdadeira identidade de satanás, como fonte e origem do mal na terra. Cristo faz essa diferenciação na tentação (Mt 4 e Lc 4). Nestes trechos, Cristo deixa claro que o mal provinha do diabo e que deveria ser combatido pela Palavra. Lembre que aos discípulos, o Senhor Jesus ensinou a orar pedindo ‘livra-nos do mal’. Esse tipo de ensino e conceito ainda não havia no Velho Testamento. Inclusive quando Cristo enviou seus discípulos para a obra, Ele promete dar poder para que nenhum mal não cause dano algum (Lc10.19).

  • Equilíbrio bíblico
O segredo para o sucesso na batalha espiritual é encontrar o equilíbrio bíblico. A luta contra o pecado é dentro de si mesmo (Rm 6), e contra o diabo (Ef 6.10-18). Precisamos encontrar esse equilíbrio para não darmos ‘ibope’ ao diabo, e muito menos sermos negligentes com suas ações opositoras contra o povo de Deus.

Veja que em Lc 4, logo após a tentação no deserto, O Senhor Jesus operou dois milagres. Ele curou um endemoniado em Cafarnaum, que inclusive estava dentro da sinagoga, e curou a sogra de Pedro. Repare que o mal na vida do primeiro homem era oriunda da ação do diabo, mas a enfermidade da sogra de Pedro é chamada apenas de febre, sem nenhuma alusão à ação do diabo. Essa diferenciação é importante. Há enfermidades oriundas de ações malignas. E também há enfermidades oriundas de causas simples e naturais. Que o Espírito nos ensine a sermos equilibrados, não negligentes e não alarmistas.

Deus nos abençoe nessas batalhas diárias!

Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Estudo ministrado na Escola de Profetas em Outubro de 2016
Comunidade Evangélica Arca da Aliança

Fonte de estudos:

Robson Rodovalho - Batalha Espiritual - Editora: Sara Brasil

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

As 4 mulheres da genealogia de Jesus

As quatro mulheres da genealogia de Jesus
Mt 1.1-17

Genealogia nem sempre é a leitura preferida de alguns cristãos. Em minhas primeiras leituras bíblicas, confesso que eu pulava esses trechos de fulano que gerou beltrano. Já ouvi vários outros relatos assim de crentes sinceros. Mas, verdade é que, como em toda Palavra de Deus, as genealogias contêm ensinamentos profundos para seus humildes leitores.

Nos primeiros versículos do Novo Testamento, podemos meditar na genealogia do Senhor Jesus. Há nomes importantes de reis e patriarcas. Davi, Salomão, Abraão, Isaque e Jacó, são alguns ilustres nomes que estão na ascendência de Cristo. Uma bela genealogia com mais de 40 nomes. Nesta lista há algo digno de nossa meditação. No meio dessas dezenas de nomes, há o registro de 4 mulheres. São as 4 mulheres da genealogia de Jesus. Observe-se, querido(a) irmão(ã) o paralelo dessas 4 mulheres com Cristo e permita que o Espírito Santo fale contigo:


  • Tamar
Nome da mulher de Her, filho de Judá. Depois que ficou viúva, teve dois filhos gêmeos: Perez e Zerá, cujo pai era o próprio sogro de Tamar (Gn 18.6-30).

  • Raabe
Nome de uma meretriz que morava em Jericó e cuja habitação ficava sobre o muro da cidade. Ela recolheu em sua casa os espias enviados por Josué para explorar a cidade. Escondeu-os, quando estavam em perigo de serem presos, e com uma corda os fez descer pelo muro, de onde saíram para o campo israelita (Js 2.1-24). Com a tomada de Jericó, Raabe e toda a sua família foram poupados e incorporados ao povo de Deus (Js6.22-25; Hb 11.31; Tg 2.25)

  • Rute
Nome de uma mulher moabita, casada com Malom, efrateu, de Belém. Elimeleque, seu sogro, seu cunhado e seu marido morreram. Rute abandonou sua terra natal para acompanhar sua sogra Noemi para a terra de Belém. Quando recolhia espigas nos campos de Boaz, foi favorecida por ele. Boaz a tomou como esposa, depois que um parente mais próximo abriu mão de seus direitos.

  • Da que foi mulher de Urias (Bate-Seba)
Nome de uma filha de Elião, mulher de Urias, o heteu. Foi com essa mulher que o rei Davi pecou tão envergonhosamente, e com quem se casou, depois que planejou a morte de Urias, seu esposo (2Sm 11.3-4; 12.24)


Vejam, amados(as), que o Senhor Jesus era descendente dessas 4 mulheres. Uma adúltera, uma moabita, uma prostituta e uma que se deitou com o sogro. O sangue dessas 4 mulheres corriam nas veias do nosso Senhor. Esta é a história dos antepassados de Cristo, ou porque não dizer, da família dele. 

Sua família tem histórias as quais você não se orgulha?

Os nomes registrados nesta genealogia estão ali bem estampados no início do Novo Testamento. É como se houvesse um destaque. Uma sequência de nomes importantes, porém, com relatos bíblicos nada honrosos. E todos apontam para Cristo. Aquele que, por meio dele, TODAS AS FAMÍLIAS SERÃO BENDITAS (Gn 12.1-3). Aquele que teve um histórico de antepassados familiares um tanto que desonrosos, sabe transformar uma história familiar. Oro ao Senhor que o Espírito Santo nos ensino isso. Não há história de família tão difícil que Ele não possa tornar bendita!

Mesmo com toda uma herança genética pecaminosa, o Senhor Jesus não pecou. Seu sangue é puro e oferecido gratuitamente a tantos que, como eu, tiveram um histórico familiar complicado. 



Que o sangue puro do Cordeiro de Deus possa purificar toda sua família,



Bp Erisvaldo Pinheiro Lima  
Mensagem ministrada em Setembro de 2016.
Comunidade Evangélica Arca da Aliança


Fonte de pesquisa:

Novo Dicionário Bíblico- Jhon Davis - Ed Hagnos