segunda-feira, 29 de julho de 2013

O rei Joás e a nossa dependência na intervenção divina


O rei Joás dependeu da intervenção do Senhor para chegar onde chegou.
Vendo, pois, Atalia, mãe de Acazias, que seu filho era morto, levantou-se e destruiu toda semente da casa de Judá.
Porém, Jeosebate, filha do rei, tomou a Joás, filho de Acazias, e tirou-o dentre os filhos do rei, (...) e escondeu de Atalia, de modo que não o matou.
E esteve com eles escondido na Casa de Deus seis anos; e Atalia reinou sobre a terra.
Porém, no sétimo ano, Joiada se esforçou e tomou consigo em aliança os chefes das centenas (...)
Então, tiraram para fora o filho do rei, e lhe puseram a coroa, e deram-lhe o testemunho, e o fizeram rei; e Joiada e seus filhos o ungiram e disseram: Viva o rei! (2Cr 22.10-12; 23.1-11; trecho)


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima 
Palavra ministrada em 26/07/2013


A nação de Judá, o chamado reino do Sul, estava passando por um dos seus momentos mais difíceis até então. Os capítulos 22 e 23 de 2Crônicas revelam a história de como um menino de apenas sete anos é coroado rei. Isso depois de seu avô, o rei Jeorão, ter morrido sem deixar de si saudades, seu pai, o rei Acazias, reinar por apenas um ano. E sua avó, Atalia, mandar matar todos que poderiam ocupar o trono. O menino Joás estava nesta lista.

  • 1º Porém

Momentos difíceis do povo de Deus devem ser encarados de forma atenta. Na hora difícil deste povo, Deus escreveu um PORÉM! E a história começa mudar. No momento em que os planos de morte de Atalia apontavam para o menino Joás, Deus levanta Jeosebate e toma o menino e o esconde na casa de Deus. Lá ele ficou seguro.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Tempos de repouso e os muros, torres, portas e ferrolhos do rei Asa

Em tempos de repouso o rei Asa edificou muros, torres, portas e ferrolhos. Não ficou parado!
E edificou cidades fortes em Judá, porque a terra estava quieta, e não havia guerra contra ele naqueles anos, porquanto o Senhor lhe dera repouso.
Disse, pois, a Judá: Edifiquemos estas cidades e cerquemo-las de muros, torres, portas e ferrolhos, enquanto a terra ainda está quieta diante de nós, pois buscamos ao Senhor, nosso Deus; buscamo-lo, e deu-nos repouso em redor. Edificaram, pois, e prosperaram. (2Cr 14.6-7)

Bp Erisvaldo Pinheiro 
Palavra ministrada em 24/07/2013


Embora passamos por batalhas espirituais constantes em nossa caminhada, vivemos, também, dias de calmaria. Passamos por lutas e mais lutas, mas chegam dias em que o Senhor faz cessar essas lutas e vivemos dias de paz, dias de repouso. Os sonhados tempos de repouso, em que não há luta, nem batalha, como viveu o rei Asa, nos tempos do Israel da Antiga Aliança. Gosto de meditar nos períodos de guerra e disputa pela terra prometida em que viveu o povo de Deus no Velho Testamento. Aquelas guerras tipificam as tantas guerras espirituais que passamos nos dias de hoje, aquelas disputas pela terra prometida, também, podem ser apontadas para o hoje, quando travamos batalhas contra as hostes espirituais deste século. 

Neste trecho do segundo livro das Crônicas dos reis de Israel, o rei Asa passara por uma década de paz, onde o Senhor fez cessar as guerras. Um tempo de repouso para o povo de Deus. Neste período de repouso, o rei Asa não ficou parado! 

Tempos de repouso não são tempos de descanso, são tempos de edificar. O rei Asa, como um fiel e temente servo de Deus que era, entendeu essa máxima e nos tempos de repouso edificou muros, torres, portas e ferrolhos. Devemos fazer o mesmo, edificar para nos prepararmos para futuras batalhas. Medite nisso e permita que o Espírito Santo fale contigo:

domingo, 7 de julho de 2013

O templo de Salomão e o templo de Cristo


O templo de Salomão é uma representação do Templo de Cristo.
Assim, se acabou toda obra que Salomão fez para a Casa do SENHOR; então, trouxe Salomão as coisas consagradas de Davi, seu pai; a prata, e o ouro, e todos os utensílios, e pô-los entre os tesouros da Casa de Deus.
2 Crônicas 5:1
Bp Erisvaldo Pinheiro Lima 
Palavra ministrado em 07/07/2013


No relato bíblico do livro de Crônicas há uma especial descrição do Templo de Salomão, uma suntuosa construção que durou cerca de sete anos. Os números impressionam: 153.600 homens trabalharam nesta construção; somente os custos dos trabalhadores que o rei Hirão enviou a Salomão ultrapassam a casa dos 18 milhões em produtos como o trigo malhado, a cevada, o vinho e o azeite; o Santíssimo Lugar fora forrado com outro fino, do peso de 600 talentos, que equivalem a 21 toneladas, totalizando mais de 40 milhões em dólares atuais; até mesmo cada prego que fora usado no Santíssimo Lugar pesava 50 ciclos, correspondente a seiscentos gramas, dando um total de $ 1.631,00 cada prego! os tanques no Altar de sacrifícios, aqui chamados de mar de fundição, cada um, de dez no total, suportava 800 litros de água, que eram diariamente trocadas para as adorações cerimoniais. Realmente uma casa magnífica feita para sacrifícios a um Deus magnífico.

Aprouve o Senhor, cuja morada construída por mãos humanas não poderia conter e abrigar sua glória (At 17.24), inspirar o escritor de Crônicas para nos deixar um rico relato com os detalhes da construção deste grande templo. Um templo cujo seus detalhes aponta para uma obra do Senhor ainda mais magnífica, o templo de Cristo! Afirmamos isso por pelo menos três motivos. Primeiro, apesar de carregar o nome de templo de Salomão, a glória desta grande obra não poderia ser dada ao sábio rei, foi Deus quem lhe deu sabedoria. A inspiração dos detalhes do templo veio do Senhor. Segundo, note a semelhança, que não pode ser acaso, entre o preparo que o rei Davi teve em deixar tudo pronto para que seu filho edificasse o templo, e o preparo que Deus Pai deixou para que seu filho Jesus edificasse sua igreja. Lembre-se que o templo de Salomão fora edificado no Monte Moriá, mesmo local onde Deus proveu o sacrifício para Abraão quando foi provado e ofereceu seu filho unigênito (Hb 11.17) E, por último, os detalhes da construção deste templo nos transmite profundos ensinamentos. 

É sobre cinco destes detalhes do magnífico templo, querido leitor, que vamos meditar e relacioná-los com o templo de Cristo. Uma mensagem que terá efeito sobre aqueles que são templo do Espírito (1Co 3.16) e corpo de Cristo (1Co 12.27). Medite, e deixe o Espírito de Sabedoria falar contigo: