segunda-feira, 13 de março de 2017

6 lições do vale de ossos secos

Vale de ossos secos

Ezequiel 37

1 Veio sobre mim a mão do SENHOR, e ele me fez sair no Espírito do SENHOR, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos.
2 E me fez passar em volta deles; e eis que eram mui numerosos sobre a face do vale, e eis que estavam sequíssimos.
3 E me disse: Filho do homem, porventura viverão estes ossos? E eu disse: Senhor DEUS, tu o sabes.
4 Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do Senhor.
5 Assim diz o Senhor DEUS a estes ossos: Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis.
6 E porei nervos sobre vós e farei crescer carne sobre vós, e sobre vós estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis, e sabereis que eu sou o Senhor.
7 Então profetizei como se me deu ordem. E houve um ruído, enquanto eu profetizava; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso.
8 E olhei, e eis que vieram nervos sobre eles, e cresceu a carne, e estendeu-se a pele sobre eles por cima; mas não havia neles espírito.
9 E ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor DEUS: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam.
10 E profetizei como ele me deu ordem; então o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo.
11 Então me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; nós mesmos estamos cortados.
12 Portanto profetiza, e dize-lhes: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel.
13 E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu abrir os vossos sepulcros, e vos fizer subir das vossas sepulturas, ó povo meu.
14 E porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que eu, o SENHOR, disse isto, e o fiz, diz o SENHOR

O capítulo 37 de Ezequiel talvez seja o mais conhecido de seu livro. Nesta visão, o Senhor leva o profeta com suas próprias mãos e o coloca no meio de um vale repleto de ossos secos. Mais adiante, o profeta é instruído que aqueles ossos são a casa de Israel. O povo de Deus estava cativo na Babilônia. Deus iria mostrar nesta impactante visão, o quanto o peso de sua aliança poderia restaurar uma nação inteira. Uma valiosa lição de seu amor e poder. Por isso, querido(a) leitor(a), te convido a meditar nas seis lições do vale de ossos secos.





  • A mão de Deus


Repare que o profeta estava nas mãos de Deus. E porque ele estava nas mãos do Senhor, o povo receberia a promessa de restauração. O povo seria beneficiado porque o profeta estava nas mãos do Senhor. Isso é muito importante e sugestivo para nós. Quando o ministro se dispõe a ficar inteiramente nas mãos do Senhor, o povo é beneficiado. Creio que se você ficar inteiramente nas mãos do Senhor, pessoas poderão ser beneficiadas.


  • O vale


Vales são geralmente cercados de montanhas, o que proporciona belas paisagens. Mas neste vale, a paisagem era de morte. Estando no meio do vale, o profeta viu que ali estava cheio de ossos.


Estando a passar em volta deles, impulsionado pelo Senhor, o profeta teve uma descrição mais nítida. Ele descreve o vale como um lugar com “mui numerosos’ ossos que estavam “sequíssimos”. A visão e compreensão aumentaram. No meio do vale, o profeta teve apenas uma visão parcial dali. Ao ser direcionado por Deus a passar em volta dele, a visão  ficou mais nítida. Antes de qualquer situação restauradora de Deus, o profeta precisou aumentar sua compreensão do vale… Há situações em que nossa vida não vai pra frente, e andamos em círculos que não terminam… são situações em que precisamos apurar nossa visão, aumentando nossa compreensão. São situações em que precisamos aprender mais.


  • A pergunta


Depois que teve a visão mais detalhada do vale, o profeta recebe uma pergunta intrigante do Senhor. PODE ESSES OSSOS TEREM VIDA? Repare que a pergunta não foi POSSO FAZER ESSES OSSOS TEREM VIDA?  Não há dúvida no profeta em que o seu Deus possa operar maravilhas. A dúvida, porém, é se o povo poderia receber (ou fazer por merecer) essas maravilhas do Senhor.


O profeta sabendo do poder restaurador do Senhor e, ao mesmo tempo, conhecendo a vida pecaminosa do povo, se coloca imparcial e na dependência da presciência de Deus: TU O SABES, ele respondeu


  • A profecia


Deus ordena que o profeta liberasse duas profecias. A primeira seria dirigida ao ossos secos. A segunda, ao espírito. Na primeira profecia, os ossos deveriam ouvir a palavra. Na segunda, o Espírito deveria soprar vida.


A palavra tem o efeito de juntar, pôr em ordem. O Espírito completa o efeito da palavra. dando vida e colocando de pé. Um complementa o outro. Primeiro, a palavra, e após ela, o Espírito. Devemos nos atentar para esta sequência. A situação decadente de Israel ganharia uma esperança de restauração por meio da palavra liberada por Deus. A palavra proveniente de Deus (Jo 1.1; Ap 19.13), iria juntar os ossos secos, pondo ordem na sequência da morte (1Co 15.55-56). E o Espírito, que viria em seguida, continuaria a obra da palavra (Jo 14.16), dando vida (Jo 6.63), levantando o povo de Deus, e por fim, formando um exército (Ap 19.14).


  • A situação


O Senhor relata exatamente a situação que seu povo vivia:
  1. nossos ossos secaram
  2. pereceu nossa esperança
  3. estamos cortados


Veja que essa situação é bem forte. “Ossos se secaram” mostram que a situação era tão deprimente quanto ver algo se secando aos poucos. Os ossos sustentam o corpo. As forças do povo foi se diminuindo aos poucos até se acabarem. E por isso, perderam a esperança de que aquela situação de cativeiro terminaria. A sensação deles era de que haviam sidos cortados, ou seja, era uma situação de dor. Mesmo tendo sido em decorrência de seus próprios pecados, fato que o Senhor não menciona neste trecho, é uma descrição bastante triste mesmo.


  • A restauração


Deus libera quatro valiosas promessas, veja:


  1. Abrirei vossos sepulcros
  2. Vos farei subir da vossa sepultura
  3. E vos trarei à terra de Israel
  4. E porei em vós o meu Espírito


Repare que as três primeiras promessas apontam literalmente para Israel cativo na Babilônia. Deus abriria aquele lugar, levantaria seu povo e os trariam de volta para sua terra (Et 1-10).  Mostrando o tamanho amor e peso da aliança que o Senhor Deus tinha com seu povo.

Mas, a quarta promessa alonga o alcance das três primeiras. O Espírito foi derramado em Atos 2 na igreja. Por isso, a quarta promessa coloca as anteriores também para a igreja. Estávamos presos em nossos próprios sepulcros, presos pelo pecado (At 8.23). Através do vivo e novo caminho (Hb 10.20), o Senhor Jesus nos tirou dessa sepultura e nos levará para um novo lugar preparado por ele mesmo (Jo 14.3). O selo pra isso é o seu Espírito (Ef 1.13). Que esse Espírito nos mostre esse lugar. Q ue Ele nos faça ansiar por esse lugar. Prossigamos para esse alvo. Que nada não venha nos parar.


Que a Palavra Viva nos junte e o Espírito Santo nos coloque de pé.

Bispo Erisvaldo Pinheiro Lima
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Mensagem ministrada em Março de 2017