quinta-feira, 26 de abril de 2018

Infância e juventude de Jesus

 
  • Mt 2.13 "...Herodes há de procurar o menino para o matar"

Os dias que antecederam o nascimento do Senhor Jesus foram difíceis. Um recenseamento do governo obrigou o jovem casal a viajar por quilômetros (Lc 2.1-5). Maria, mesmo nos últimos momentos de sua primeira gravidez, teve que aceitar se instalar num estábulo aos arredores de Belém abarrotada de viajantes.


Seus primeiros dias foram envoltos num drama cinematográfico. Havia uma conspiração tramada no inferno para aniquilar o Filho de Deus recém-nascido. De fato, era a grande chance do inimigo de impedir o plano divino de redenção. O plano do mal era que "dando ela a luz, lhe tragasse o filho (Ap 12.4)." 


Judeus gostam de contar histórias para seus filhos. Jesus bem conhecia a história de seus primeiros dias. Ele sabe na pele o que é um nascimento difícil. Sabe bem, desde o início, o que era correr risco de vida



  • Lc 2.40 “... e o menino crescia e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. ”

Aos 12 anos, temos a primeira noção de que Jesus sabe que é o Filho de Deus. Seus pais já estão na viagem de volta para Nazaré há três dias quando percebem que ele desapareceu.


Onde Jesus estava?  No templo de Jerusalém!

Para onde Jesus foi? Para sua casa em Nazaré!


Mesmo ciente de que precisava “cuidar dos negócios do Pai” (Lc 2.49), o Senhor Jesus foi ajudar sua família. Seu primeiro campo missionário foi debaixo de seu próprio teto.


Que esse exemplo do Jesus adolescente seja notório para nós. Antes de púlpito, que ministremos em nossa casa. Antes de tentar ensinar algo na congregação, que ensinemos os nossos filhos no caminho. Antes da liderança eclesiástica, a liderança doméstica. Sendo uma “bênção” na igreja e, antes de tudo, dentro de casa. Que o Espírito Santo nos ensine isso!



  • ·         Mc 6.3 “... não é este o carpinteiro? ”.

Imagine uma casa simples, de uma cidade sem muita importância no mapa, de um país atravessando uma crise política, esta era a realidade do lar de Jesus (Lc 2.22-24). José e Maria ofereceram dois pombinhos no sacrifício do Templo. Era a oferta dos pobres.



Por não ser citado nas escrituras na fase adulta de Jesus, alguns comentaristas bíblicos sugerem que José morrera cedo. Se assim for, imagine uma família que sofreu uma grande perda. Imagine sete irmãos sem o sustento do pai. Esta era a realidade da família de Jesus. 


Antes de consertar corações e arrancar feridas nas pessoas, o Mestre Jesus consertou cadeiras e arrancou pregos de madeiras. Era lembrando pelos vizinhos apenas como “carpinteiro”. 


Nosso Senhor, em sua vida na conturbada região palestina, tinha as mãos sujas pelo seu trabalho, roupa suada e uma aparência comum (Is 53.2)


E por que o Filho mais admirável do céu suportaria a vida mais esquecida na Terra? Para te mostrar que ele sabe como você se sente.


Que o amor de Jesus Cristo seja bálsamo para tuas lembranças do passado.


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Estudo ministrado numa Escola Bíblica de Jovens, em 2010

quinta-feira, 8 de março de 2018

Você não precisa fingir


Você não precisa fingir



Texto escrito por: Nadiane Diniz

Você já sorriu várias vezes.
"Somente para fingir que estava bem".
Você já entrou em certas brincadeiras várias vezes,
"Somente para disfarçar a sua tristeza".

Você já abraçou várias vezes.
"Somente para esconder a sua carência".
Você já falou várias vezes que estava bem.
"Somente para não expor a sua dor por vergonha".

"Fingiu tantas vezes que estava bem"
Você fingiu não por maldade.
Mas por medo:
De te julgarem,
De te condenarem,
Por vergonha ou
Por receio de tantas outras coisas.

Mas o que você está ganhando por "fingir" que está bem?
Nada tem ganhado.
A sua dor só tem aumentado cada vez mais.

Sabe de uma coisa,
Você não deve ter vergonha de mostrar a sua fraqueza, a sua dor e o seu medo.

Você deve transparecer exatamente por fora,
Aquilo que você está sentindo por dentro.

Quem te ama vai te estender as mãos.
Quem te ama vai te aconselhar.
Quem te ama vai te entender.
Quem te ama vai te ajudar a sair desse sofrimento.

Você é simplesmente um ser normal.
Que acerta, mas que também tem o direito de errar.
Que ajuda, mas que também precisa ser ajudado.
Que aconselha, mas que também pode ser aconselhado.
Que ama e que também merece ser amado.

Deus te ajudará e colocará em seu caminho justamente a pessoa certa que irá te entender e te ajudar.
Mas não deixe de dizer, quando algo dentro de você DOER.
Não tente esconder, algo que não pertence a você.

terça-feira, 6 de março de 2018

Serão os dois uma só carne: mensagem para casamento

Serão ambos uma só carne Gn 2.24 Mc 10.8 Ef 5.31
 Gn 2.24 Mc 10.7-8 Ef 5.31


O conhecido versículo de dois serem uma só carne é mencionado em três ocasiões na Bíblia. Veja:

  • Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. (Gênesis 2:24

  • Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á sua mulher, e serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne. (Marcos 10:7,8)

  • Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne. (Efésios 5:31)

Foi mencionado pela primeira no Jardim do Éden. Na ocasião, acontecia a união do primeiro casal da humanidade. Deus proclamou nos votos da apresentação de Eva a Adão. Tão profundo que é, o mistério de dois serem uma só carne, que está presente no primeiro enlace matrimonial, no Jardim ainda sem queda do pecado humano e na presença do Deus da Criação. De fato, o casamento é algo tratado com muita importância na Bíblia Sagrada.

Foi mencionado também pelo Senhor Jesus, numa ocasião em que ensinava sobre casamento. Uma pequena frase, porém realista, foi acrescentada: o que Deus uniu, não separe o homem. A união do matrimônio foi criada no percurso da história humana anterior ao pecado, mas acabou enfrentando as consequências da queda, a separação. As palavras de Cristo são taxativas e claras não separe, contrariando o conselho popular que diz que "se não der certo, separe". Não há nada incerto que o poder do Senhor não possa tornar certo. O primeiro milagre do Senhor prova isso. Diante da falta de vinho nas Bodas de Caná da Galiléia, Cristo transformou água em vinho. No lugar da separação, o Filho de Deus coloca a opção de transformação. 

O Apóstolo Paulo escreveu aos Efésios falando sobre os papéis de cada integrante da família. Quando ele diz "por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne", algo muito profundo é acrescentado: Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Aqui temos a explicação do porquê a união entre o homem e a mulher é tão preservada nas Santas Escrituras, ela representa a união entre Cristo e sua Igreja. 

A cerimônia de casamento nunca deve sair de moda, pois é carregada de símbolos eternos. Sempre ocorre uma correria na cerimônia, tudo tem que ficar pronto, em seus devidos lugares. Os convidados preenchem os assentos, a música tem seu volume aumentado. Os padrinhos e madrinhas ocupam seus lugares. E o noivo, um tanto apreensivo, aguarda a entrada triunfal da noiva. Quando tudo está em seu devido lugar, aumenta a expectativa. A noiva vem aí... ao som de uma exclusiva canção, tocada uma única vez, se anuncia a entrada da noiva exuberantemente adornada. Todos olham para ela. Ela procura apenas um, seu noivo que a espera com um lindo sorriso no olhar. Toda a cena é profética. Tudo isso aponta para a entrada triunfal da igreja nos céus. O grande dia do arrebatamento. O encontro do Noivo com a Noiva. O Noivo, que foi preparar lugar, espera com expectativa divina aquele Dia em que somente o Pai sabe a hora. 

Por tudo isso, a união entre o homem e a mulher deve ter sempre nosso olhar de cuidado bíblico. Foi criado por Deus Pai no Jardim do Éden nos votos de Adão e Eva; mencionado pelo Filho de Deus nos Evangelhos, acrescentando o ensino de que no lugar da separação deve haver transformação; e ministrado pelo Espírito Santo, através de Paulo, ampliando a visão do matrimônio para a união entre Cristo e a igreja.
Assim, vemos a Trindade tratando o casamento. 

Que o Santo Espírito nos ensine isso. Oro ao Senhor para que cada casamento de algum humilde servo que ler esse texto seja renovado e para glória de Deus. Que nosso matrimônio seja como o espelho que reflete a belíssima e mística relação de Cristo com sua igreja.

Amém.

Mensagem ministrada no casamento de Gabriel e Karol, em Fevereiro de 2018.
Bp Erisvaldo Pinheiro Lima



  • Fonte de pesquisa:


A Bíblia Sagrada
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...