domingo, 25 de janeiro de 2015

Escola de Profetas: O conteúdo da Palavra (3ª aula)

Para onde irei eu, se só tu tens as palavras de vida eterna.
Adicionar legenda



Escola de Profetas: O conteúdo da Palavra       (3ª aula)


A Bíblia é composta por 66 livros, sendo que 39 deles estão no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento. Possui cerca de 40 escritores e foi escrita num período de quase dois milênios. Não se contradiz, possui harmonia entre os livros, que se completam. Não se pode ter um 67º livro, pois não há nenhuma revelação fora do que já foi escrito.

Em termos cronológicos, o livro de Jó, talvez seja o mais antigo. Porém, os livros que estão no começo da Bíblia são os Pentateucos, escritos por Moisés. Moisés é um tipo de Cristo (confira Dt 18.18-19) e toda revelação que se sucede tem por base o Pentateuco. Josué escreveu seu livro como continuação dos livros anteriores. Cada novo ministro que teve a honra de ser um dos 40 escritores da Bíblia, conhecia os livros já escritos. Exceto Moisés, todos os demais escreveram tendo por base o que já havia sido escrito antes. É assim até o Novo Testamento, que possui mais de 1500 textos que são citações do Velho Testamento.

Exemplos:
  • Salmo 68.18 é base para Efésios 4.8
  • Gn 15.6 aparece nos textos de Romanos 4, Gálatas 3 e Tiago 2
  • Habacuque 2.4 é base para Romanos 1 (o justo), Gálatas 3 (fé) e Hebreus 10 (viver)

Como esses ministros citariam se não conhecesse esses textos já escritos? Não basta somente conhecer. Deve-se buscar a profundidade, conviver com a Palavra de Deus em nós.

João Batista conviveu 30 anos com Jesus, era seu primo. Mas não conhecia o Senhor Jesus! (Admitiu em Jo 1.33-34). Não sabia ainda quem era “aquele” citado em Mc 1.7-8. Ter informações não garante conhecer o Senhor Jesus, os judeus achavam que conheciam, veja Mt 13.55-56.

Os dois discípulos a caminho de Emaús tinham convivido com o Senhor, mas não entendiam o que estava acontecendo, sem que eles soubessem quem era, o próprio Cristo os advertiu "Como vocês custam a entender e como demoram a crer em tudo o que os profetas falaram!E, começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as Escrituras (Lc 24)

Seque alguns versículos que consta a respeito de Cristo nos textos mosáicos:
  • Gn 3.15: Cristo é aquele que vai ferir a cabeça da serpente, embora seja ferido no calcanhar. Uma forte profecia espiritual da vitória de Cristo (a semente da mulher) sobre Satanás (a semente da serpente). 
  • Gn 12.2-3: Cristo é o descendente de Abraão, aquele pelo qual todas as famílias da terra serão benditas.  
  • Gn 26.3-4: Cristo é a semente de Isaque. A confirmação da aliança abraâmica.  
  • Gn 28.13-14: Cristo é a benção prometida a Abraão, agora confirmada na vida de Jacó. 
  • Gn 49.8-12: Cristo é o louvor dos irmãos de Judá. O Leão da Tribo de Judá. Aquele que tem o cetro de justiça em sua destra. Cristo é o legislador que congregará os povos. Aquele que usará o jumentinho e a jumenta para entrar majestoso em Jerusalém. 
  • Nm 24.17: Cristo é a estrela que procedeu de Jacó e o cetro de Israel. 
  • Dt 18.18-19: Cristo é o exímio profeta que, á semelhança de Moisés, falará tudo que o Pai lhe ordenar. 



    NOTA: Querido leitor, este é o terceiro de uma série de estudos que serão intitulados Escola de Profetas. Trata-se de um projeto que fomos direcionado pelo Santo Espírito do Senhor para desenvolvermos junto aos obreiros. Nas primeiras aulas, estudamos, além da Bíblia Sagrada, o livro de Watchman Nee descrito abaixo. Para aqueles que serão tocados pelo Senhor para meditarem nesses estudos, aconselho que comprem o livro.


    Fontes de pesquisas:
    O Ministério da Palavra de Deus - Watchman Nee -  Editora Clássicos


    Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
    Comunidade Evangélica Arca da Aliança
    Ministrado em Setembro de 2014

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Escola de Profetas: Ministros da Palavra (2ª aula)

Jesus Cristo é a própria Palavra de Deus encarnada.


Escola de Profetas: Ministros da Palavra       (2ª aula)


(continuação)

  1. No Antigo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos profetas; aí temos o ministério dos profetas
  2. Na peregrinação terrena do Senhor Jesus, a Palavra de Deus tornou-se carne; assim, temos o ministério do Senhor Jesus. 
  3. No Novo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos apóstolos; como resultado, temos o ministério dos apóstolos. 


O Ministro da Palavra nos Evangelhos: O Senhor Jesus


Anteriormente Deus empregava a voz dos homens para proclamar Sua Palavra. No Antigo Testamento a Palavra vinha sobre os homens. A Palavra e o ministro eram duas coisas distintas. Não foi assim com o Senhor Jesus, ele é a Palavra encarnada. Ele próprio era a Palavra de Deus (Jo 1.14). Tudo o que Ele fez e disse era inteiramente a Palavra de Deus. Seu ministério era o ministério da Palavra de Deus.

Com o Senhor Jesus, a Palavra de Deus usou não somente uma voz humana, mas também os pensamentos, sentimentos e opiniões. Deus não queria que sua Palavra fosse somente uma palavra (som), Ele queria que fosse uma pessoa. E isso torna a Palavra do Senhor Jesus mais elevada que no Velho Testamento, confira em Mt 5.21.

Os Ministros da Palavra no Novo Testamento: Os Apóstolos

O ministério dos Apóstolos segue o padrão do Senhor Jesus, juntamente com a adição da reveleção do Antigo Testamento. A diferença entre o ministério dos Apóstolos com o ministério do Senhor Jesus é a seguinte: no caso do Senhor Jesus, a Palavra se tornou carne, ou seja, primeiro existia a Palavra, a carne, então, se adaptou a ela. No entanto, no ministério dos Apóstolos, temos primeiro a carne, que para se tornar útil para se tornar um ministro da Palavra, essa carne tem que ser transformada segundo os padrões da própria Palavra.

Aqueles que são escolhidos no Novo Testamento não são perfeitos como o Senhor Jesus, pois Ele é o Santo de Deus sem nenhuma impureza. Assim, Deus deve tratar esses escolhidos, elevá-los ao nível que deseja, para que sua Palavra seja pronunciada atraves deles. A Palavra não será mais apenas pronunciada pela voz humana, passa ser também, observável nas atitudes, emoções, condutas do indivíduo. Saiba que Deus tem prazer de colocar sua Palavra nos indivíduos e depois permitir que ela seja visível nas várias áreas da vida do homem. No Senhor Jesus, a Palavra se tornou carne, nos ministros do Novo Testamento, a carne é transformada para receber a Palavra.

O Novo Testamento está repleto de elementos humanos; mesmo assim, também é a Palavra de Deus.

Cada escritor mantém sua ênfase, usa suas frases especiais e preserva suas características. Por meio deles, a Palavra de Deus é transmitida sem sofrer qualquer perda. Ela tem as marcas dos homens e possui características humanas, mas permanece como Palavra de Deus - assim é o ministério da Palavra no Novo Testamento. Deus não transforma homens em gravadores, Ele não deseja isso. Uma vez que o Senhor Jesus já veio e o Espírito Santo agora habita naqueles que crêem, Deus trabalha na vida do crente até que seus elementos humanos não causem prejuízo à Palavra de Deus. Assim, o Espírito Santo opera nos homens, controlando-os e disciplinando-os.

Aqueles indivíduos que não foram tratados por Deus não podem ser usados. Se o elemento pessoal é questionável diante de Deus, sua Palavra não pode ser transmitida por esse indivíduo. Ele não é adequado; não pode ser ministro da Palavra. Deus vai ter de deixar de lado aqueles cuja estrutura humana contém impurezas, obras da carne e elementos condenados pelo Senhor. Outros devem ser deixados de lado porque jamais foram quebrantados diante de Deus, seus pensamentos não são sinceros, sua vida é indisciplinada, são obstinados, suas emoções são descontroladas ou têm pendências com Deus. Se esses assim pregarem, a Palavra fica bloqueada, não é reconhecida como Palavra de Deus e a mensagem será ineficaz.. Por isso, a condição do homem diante de Deus é um problema básico para os ministros do Novo Testamento.


NOTA: Querido leitor, este é o segundo de uma série de estudos que serão intitulados Escola de Profetas. Trata-se de um projeto que fomos direcionado pelo Santo Espírito do Senhor para desenvolvermos junto aos obreiros. Nas primeiras aulas, estudamos, além da Bíblia Sagrada, o livro de Watchman Nee descrito abaixo. Para aqueles que serão tocados pelo Senhor para meditarem nesses estudos, aconselho que comprem o livro.


Fontes de pesquisas:
O Ministério da Palavra de Deus - Watchman Nee - Editora Clássicos


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Ministrado em Setembro de 2014

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Escola de Profetas: Ministros da Palavra (1ª aula)



Ministros da palavra no Antigo Testamento: os profetas


Escola de Profetas: Ministros da Palavra  (1ª aula)


Deus usa um método para proclamar sua Palavra. Ele usa homens. Embora Deus tenha se servido de anjos para falar ao seu povo, sua preferência é usar homens. Esses homens devem ser devidamente tratados e quebrantados para que a mensagem seja pura. Qualquer acréscimo humano, a mensagem perde sua eficácia. Assim é o serviço do ministério da Palavra, servir as pessoas com a Palavra pura de Deus. ‘Ministério’ aponta para a função, enquanto ‘ministro’ fala sobre o indivíduo. O ministério da Palavra ocupa um lugar importante na obra de Deus.

Em toda Bíblia podemos encontrar três tipos diferentes de pessoa, as quais Deus usa para pregar a Palavra: 


  1. No Antigo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos profetas; aí temos o ministério dos profetas
  2. Na peregrinação terrena do Senhor Jesus, a Palavra de Deus tornou-se carne; assim, temos o ministério do Senhor Jesus. 
  3. No Novo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos apóstolos; como resultado, temos o ministério dos apóstolos. 

Os ministros da Palavra no Antigo Testamento: Os profetas


No Antigo Testamento Deus se serviu de muitos homens para proclamarem sua Palavra. O Espírito Santo compartilhava sua Palavra a um determinado indivíduo em particular e depois ‘controlava’ aquela pessoa para que não houvesse erros quando ela propagasse a mensagem da parte de Deus.

Pessoas como Balaão, Saul e Miriã foram chamados de profetas. Suas profecias eram de Deus. Mas quando falavam por si só, suas palavras não eram reconhecidas como de Deus. Enquanto estavam sob a revelação, falaram a Palavra de Deus; entretanto, assim que falavam por si próprio, manifestaram pecado, perversidade e trevas. Vejam:

  • Balaão e sua posição diante das honrarias: Nm 22.1-20; sua profecia pura Nm 23.18-24; seu caminho perverso, compare Nm 25.1-3 e Nm 31.16 
  • Saul no início de sua jornada 1Sm 10.10 e já desviado e fora do propósito de Deus 1Sm 19.20-24 
  • Miriam e sua importante participação como profetiza Êx 15.20-21; e a consequência de falar impensadamente Nm 12.1-15 

Apesar disso, temos no Antigo Testamento homens como Moisés, Isaías e Jeremias (e outros) que se destacaram como porta vozes de Deus de uma forma mais avançada que em Balaão. Deus ainda controlava suas profecias, para serem a pura Palavra de Deus. Mas quando falavam por si próprios, não puderam ser acusados de erros, suas palavras pessoais eram reconhecidamente como vinda de Deus. Repare:

  • Moisés e sua ministração em forma de livro Dt 1.1; e suas palavras próprias Nm 11.27-29 compare com 1Co 14.1,3 
  • Jeremias e uma de suas fortes profecias 31.31-33 e uma de suas expressões de tristeza: o livro de Lamentações

Pense nisso...


No Antigo Testamento, Deus levantou homens e mulheres para proclamarem sua palavra. Deus se serviu de pessoas. Deus controlava de forma direta a proclamação de sua palavra. Homens como Moisés e Jeremias, mesmo quando não estavam com o impulso direto da proclamação da mensagem do Senhor, suas palavras não tiveram impurezas. Diferente de outros como Balaão, que foi usado pelo Senhor e proclamou a palavra de Deus, mas quando se viu só, suas palavras pessoais foram de engano e perversidade. 


NOTA: Querido leitor, este é o primeiro de uma série de estudos que serão intitulados Escola de Profetas. Trata-se de um projeto que fomos direcionado pelo Santo Espírito do Senhor para desenvolvermos junto aos obreiros. Nas primeiras aulas, estudamos, além da Bíblia Sagrada, o livro de Watchman Nee descrito abaixo. Para aqueles que serão tocados pelo Senhor para meditarem nesses estudos, aconselho que comprem o livro.  



Fontes de pesquisas:
O Ministério da Palavra de Deus - Watchman Nee -  Editora Clássicos


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Ministrado em Setembro de 2014