segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Davi na caverna e a quebra de laços ocultos

Davi na caverna de En-Gedi, quando lhe foi armado um laço oculto.
No caminho em que eu andava, ocultaram um laço. 
Salmos 142:3

Caverna é lugar de provação, incerteza, medo, solidão e insegurança.

Na palavra do Senhor, vemos três exemplos de homens que em algum momento de sua jornada da fé estiveram no frio de uma caverna, em decorrência de perseguições. Elias, quando perseguido por Jezabel, se escondeu numa caverna. Davi, perseguido por Saul se escondeu em cavernas por duas vezes, a primeira, na caverna de Adulão (1Sm 22), e a segunda, na caverna de En-Gedi (1Sm 24). O que me chama a atenção é que Elias entrou na caverna uma vez, foi provado, mas saiu dela ouvindo a voz do Senhor (Confira a mensagem de Elias na caverna clicando aqui). E nunca mais o profeta se escondeu numa caverna. Davi entrou na caverna de Adulão, Deus o honrou, formou um exército de combatente leais... e no momento em que sua vida parecia que ia ter o final feliz... lá estava Davi na prova de dono, lá estava Davi na caverna de novo.

  • Parecia

Esse parecia testa a nossa força e fé. Você já viveu dias assim, em que foi provado e depois da prova parecia que as coisas melhorariam? Parecia que ia dar certo? Parecia que ia pra frente? Parecia que ia ser de um jeito, mas foi de outro? Momento em que você diz: "Meu Deus, agora vai acontecer...", mas volta tudo como estava. São momentos em que você pode estar vivendo como Davi na caverna de En-Gedi. A caverna do desapontamento, da decepção, da frustração, onde há um choque de realidade, onde parecia que ia ser... mas não foi! Quando a história de Davi parecia que ia mudar, aconteceu de estar numa caverna de novo.


  • De novo

Caverna de En-Gedi é o lugar onde de novo a perseguição acontece, de novo as coisas tomam um rumo inesperado. Mas, deixa eu te dizer uma coisa... caverna de En-Gedi é onde de novo Davi clamou, suplicou, se rasgou diante do Senhor, e também é o lugar onde de novo Deus escutou seu ungido e de novo veio ao seu encontro. Assim acontece com você também, você deve clamar de novo e saiba que o Senhor vai te escutar de novo e vir mais uma vez ao teu encontro! 

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Batalha espiritual: o perigo da casa vazia

Se a casa estiver vazia, o inimigo voltará com mais sete mais forte que ele.



Passamos por algumas semanas onde a grande maioria dos irmãos de nossa igreja local passavam por algum tipo de enfermidade ou problemas específicos de tal forma que ficavam impossibilitados de cultuarem. Cultuamos por algumas semanas com apenas dez por cento dos membros. Em oração e busca, o Espírito do Senhor nos alertou que a origem dos diferentes problemas eram de ordem espiritual.

Entramos numa batalha espiritual, com jejum e oração redobrados. E num dos momentos de busca o Espírito Santo nos direcionou para ministrarmos a mensagem Batalha Espiritual: organização do Império das trevas (confira aqui). Para Glória do Senhor, percebemos uma significativa mudança no andamento de nossa igreja local, com curas, livramentos, retorno de membros que estavam afastados, e com pessoas aceitando Jesus como Senhor e Salvador.

Acredito que vários demônios têm sofrido derrotas e fugindo da nossa presença. Mesmo, com a significativa mudança, o sinal de alerta continuava ligado. Um sentimento de que a luta ainda estava sendo travada. As orações e jejuns continuaram. E, mais uma vez, o Senhor nos direcionou à sua Palavra, desta vez em Mt 12.43-45a.

“E, quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então, diz: Voltarei para minha casa, donde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então, vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, habitam ali...”
(Mt 12.43-45a)

O texto sagrado ensina que um certo demônio saiu de um homem, que o chama de “casa”. Esta casa pode significar nosso coração, nossa vida, ou até mesmo, nossa casa familiar, ou ainda, nossa casa de oração.

Depois de ter saído do homem, o espírito imundo busca repouso. Isso sugere um cansaço, que pode ser oriundo da luta que perdeu, onde colocou sua força e energia, mas, saiu derrotado em busca do repouso, que não é encontrado

O texto também ensina que o demônio derrotado anda em lugares áridos. Isso sugeri uma chacota ou cobrança por parte de seus superiores.

Tudo isso o leva a voltar para sua antiga casa e tentar o êxito. Para isso, ele chama mais outros sete demônios mais forte do que ele. Afinal, ele sozinho não foi capaz.

Aqui há um detalhe importante. Mesmo voltando, o demônio não pode simplesmente entrar na casa. Há uma regra espiritual, fruto da obra no Calvário, que impede a entrada do demônio derrotado em sua antiga casa. A não ser que a casa esteja vazia, varrida e adornada!

  • ·         Casa vazia


Casa vazia aponta para uma casa em que há moradores. Não se trata de uma casa abandonada, e sim, de uma casa que ficou vazia por algum momento ou ocasião.

A “casa” não pode ficar vazia! Nem por um instante sequer, a “casa” não deve ficar vazia. Você pode olhar para sua “casa” e dizer, “mas meu coração nunca fica vazio, Jesus mora dentro dele”. Mas a questão é, naquela hora do jogo, da novela, dos canais da tv por assinatura, nas horas de internet na madrugada, no horário do intervalo da escola, no trânsito louco dos horários de pico, na hora calúnia e afronta, nos momentos em que nossa força é levada além do nosso limite... Jesus realmente fica dentro da “casa”, ou o colocamos para fora com o nosso jeitão e reações! Temos a mania de resolver do nosso jeito, mas se Jesus realmente estiver na “casa” é Ele que governa. Nossas reações serão governadas por Ele. Procure lembrar, querido leitor, se suas reações foram governadas pela sua carne ou por Jesus? A resposta lhe dirá se alguma vez sua “casa” ficou vazia!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Batalha espiritual: organização do Império das trevas

Em Efésios 6 aprendemos como o impérios das trevas se organizam.
“Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra principados, contra potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” 
Sim, temos que lutar contra o império das trevas. Não é uma luta contra pessoas de carne e sangue. É uma luta contra um adversário altamente organizado. Derrotado no Calvário, mas ainda assim, organizado.



O Ap. Paulo deixou este versículo de ordem e alerta à igreja de Éfeso. Se está escrito que não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra principados... entendo que a seguinte leitura é bem lógica: temos que lutar contra principados... A ordem de que temos que lutar é esclarecedora. Pois, se temos que lutar, e não lutarmos, então pereceremos, mas se temos que lutarmos e de fato lutarmos então prevaleceremos contra o império das trevas. 


A análise e conhecimento do adversário é crucial numa luta. É exatamente essa a beleza deste trecho de Efésios  uma clara revelação da organização do nosso adversário. Veja como o Império das trevas se organiza e se prepare para a luta. Confiando na autoridade do nome de Jesus, você vencerá qualquer batalha!


Nossa luta é contra:


1. PRINCIPADOS


O original grego é archás, que significa líderes, reis ou majestades; território ou jurisdição de um príncipe ou país que dá título ao príncipe. 



Trata-se do alto escalão do Império liderado por Satanás. São demônios que exercem liderança sobre um determinado território. Curioso notar que o último significado aponta para um país (ou lugar) que concede o título ao principado. Uma clara alusão à lugares onde a própria população, talvez sobre a dominação de principados, sujeitam o lugar ao senhorio de algum “padroeiro”. 



Na Palavra do Senhor vemos um exemplo de como agem os principados e suas respectivas jurisdições. No livro de Daniel (cap. 10) o profeta estava orando e jejuando em busca de uma resposta de Deus. Essa resposta somente chegou no vigésimo primeiro dia da oração, e o anjo mensageiro explicou que já no primeiro dia foi liberada a resposta, mas, um demônio por nome de Príncipe da Pérsia estava o impedindo. 

sábado, 14 de setembro de 2013

Sete provérbios indispensáveis para o ministério de liderança

O líder deve estar "junto e misturado" de seus liderados.


O objetivo desse estudo não é mostrar belos provérbios para nossa apreciação. Antes, é admoestar o ministério de liderança, mostrando sete belos provérbios indispensáveis para aqueles que recebem a honra do Senhor em ocupar algum cargo de liderança na igreja:

"O que desvia seus ouvidos de ouvir a lei, até sua oração será abominável"             (Pv 28.9)
O líder deve focar (esforçar) seus ouvidos para ouvir a palavra do Senhor. Neste provérbio, a palavra (lei) e oração caminham juntas, nos ensinando que o líder deve ter, antes de tudo, uma vida de oração e uma sólida estrutura na palavra de Deus.

 "Procura conhecer os estado de suas ovelhas, põe teu coração sobre o gado"          (Pv 27.23) 
Esta ordem começa com o verbo PROCURAR, indicando uma ação de continuidade. O líder, continuamente, deve conhecer (também é um processo) as situações de seus liderados, suas causas, alegrias e tristezas. O segredo para cumprir este provérbio é colocar o coração sobre eles, amando-os.

"Como o ferro com o ferro se aguça, assim o homem afia o rosto de seu amigo"            (Pv 27.17)
Uma comparação fantástica! O ferro duro é afiado por outro ferro... também duro! O líder deve olhar para aquele liderado difícil, com muita humildade e procurar ajudá-lo, afiando seu rosto. Lembrando sempre que o líder também deve ter seu rosto afiado. Ambos são ferros duros. O líder apenas está na posição de afiar o outro, mas, é ferro do mesmo jeito.

Obreiros gerados pelo Apóstolo Paulo (estudo em slides)

O Apóstolo Paulo tratava seus obreiros como "meu filho"!





terça-feira, 3 de setembro de 2013

Quem deu crédito à nossa pregação?

Seja a minoria que realmente dá crédito à pregação!
Quem deu crédito à nossa pregação? (Is 53.1a)


Você já parou para contemplar a beleza que há no capítulo 53 do livro do profeta Isaías? Um texto que demonstra ricos detalhes da obra redentora do prometido Servo do Senhor, o Messias. Belas profecias que são um acalento para perdidos, sofridos e doentes. Para não sermos enfermos ele tomou sobre si nossas enfermidades...Para não ficarmos desgarrados como ovelhas, o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Por essa obra, ele justificará a muitos. E ainda, pelos transgressores intercedeu. Um incrível relato da morte expiatória de Jesus Cristo, que, surpreendentemente, foi registrado pelo menos 680 anos antes da virgem o conceber.

Toda essa beleza poética e profética é precedida com a pergunta: Quem deu crédito à nossa pregação? Uma pergunta que mostra a rejeição da maioria das pessoas por esta obra redentora. Deus fez toda essa bela e dolorosa obra para nos salvar, mas, quem deu crédito ao Senhor? Observe querido leitor, que a pergunta mostra que a pregação é NOSSA. Deus se faz dono dela também. A pregação é minha, é sua, e, acima de tudo, é do Senhor. Pena que a maioria não deu crédito à nossa pregação. 


  • · A maioria