Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Cinco princípios para ofertas e doações

Doações voluntárias: coração íntegro e amoroso

 Bp Erisvaldo Pinheiro
Palavra ministrada em 02 de Novembro de 2014
Comunidade Evangélica Arca da Aliança


Lemos atentamente o seguinte texto: ICr 29.1-18


Davi ministra ao povo de Deus sobre as doações para a construção do Templo, que ele chama de palácio para o Senhor Deus e também de Casa de Meus Deus. Esse jeito de falar mostra que Davi tinha um relacionamento íntimo com Deus, inclusive na hora de ofertar. Este texto nos ensina a maneira correta de contribuir com nossas ofertas e doações para a obra do Reino de Deus. Veja esses cinco princípios para ofertas e doações e permita que o Espírito do Senhor fale contigo:

  • Deus, e não os homens, é o destino de nossas doações.
O único milagre do Senhor Jesus que é relatado nos quatro Evangelhos é o da multiplicação dos pães. Em nenhum deles é mencionado o nome do menino que ofertou os pães e os peixinhos.Isso realmente tem algo a nos ensinar! Precisamos colocar isso em prática, como nos ensinou o Senhor Jesus no Sermão da Montanha quando tu deres esmolas, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita. Todas nossas ofertas e doações são exclusivamente direcionadas para Deus. Davi fez isso, fez e ensinou o povo a direcionar suas doações ao Senhor.

  • As doações só tem valor se o amor estiver vinculado a elas
No capítulo 16 de Lucas, o Senhor Jesus nos contou uma parábola desafiadora. Um certo Lázaro desejava se alimentar das migalhas que sobrava de um rico, que vivia regalada e dissolutamente. Aquele pobre homem era uma verdadeira oportunidade do rico demonstrar amor ao próximo. Ele não fez isso, seu destino foi fatal. Verdade é que todos nós teremos essa mesma oportunidade. Teremos Lázaros onde deveremos demonstrar nosso amor ao próximo. Isso é um importante princípio na hora de ofertar. Sem amor, a oferta não é doação, é enganação! O capítulo 13 de 1Coríntios nos ensina que ainda que distribuísse toda a minha fortuna para o sustento dos pobres e se não tiver amor, nada disso me aproveitaria.

  • A verdadeira doação vem de um coração íntegro e voluntário
Íntegro é aquilo que é puro, sem mistura. Nosso coração deve ser íntegro. Deus olha atentamente nosso ato de ofertar. Repare a atenção de Jesus nessa passagem:
E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos depositavam muito. Vindo, porém, uma pobre viúva, depositou duas pequenas moedas (Mc 12.41-42)
Jesus não olhou apenas as ofertas que estavam sendo depositadas na arca do tesouro. Jesus avaliava os corações dos ofertantes! É por isso que naquele dia a maior oferta foi daquela que ofertou menos. Verdade é que Deus avalia o coração do ofertante. Deus avaliou o coração de Caim e recusou sua oferta. Caim não tinha o coração íntegro e voluntário. Essas qualidades Deus encontrou no coração de Abel, e aceitou sua oferta. Veja bem, Deus aceita algumas ofertas e recusa outras! Que possamos meditar muito nisso...

  • Nas doações, o exemplo começa com os líderes
Este é o modelo bíblico de ofertar. O primeiro a fazer deve ser o líder! Antes de pedir doações para o povo para construção do templo, Davi apresentou suas ofertas, bem volumosas por sinal. Este princípio aprendi já na primeira reforma do templo onde estou pastoreando. Era pra ser apenas uma pintura, mas senti no meu coração de ofertar todo o forro do templo. Isso parece ter contagiado os irmãos. A partir daí, recebemos doações ao ponto de investirmos dez vezes mais do que previa o orçamento inicial da reforma. Na construção do templo, Davi foi o primeiro a ofertar, pois o exemplo tem que começar com o líder.

  • O doador tem a guarda dos bens, não a posse
Mais uma vez, no capítulo 16 de Lucas, o Senhor Jesus nos conta uma belíssima parábola. Um certo mordomo foi visitado pelo seu senhor que o adverte, dizendo presta conta da tua mordomia. Somos mordomos para o Senhor. Cuidamos com zelo de tudo aquilo que Ele confia em nossas mãos. Cuidamos, mas não somos dono. Guardamos, mas não temos a posse. A casa, o carro, e até mesmo a própria família, tudo nos foi confiado pelo Senhor. Devemos cuidar com zelo, mas nunca esquecer que não temos a posse delas, é tudo do Senhor. Somos apenas mordomos. Estejamos atento, pois a advertência continua ecoando: presta conta da tua mordomia. 


O discurso de Davi à congregação de Israel nos ensina muito. Na ocasião, foi levantado as ofertas e doações voluntárias para a edificação do templo de Jerusalém. Que possamos aprender com essa passagem, colocando em prática esses cinco princípios para ofertas e doações. Que possamos sentir a alegria de ser um doador e ofertante na obra do Senhor, a mesma alegria que Davi e seu povo sentiu:
E o povo se alegrou do que deram voluntariamente; porque, com o coração perfeito, voluntariamente deram ao Senhor; e também o rei Davi se alegrou com grande alegria (1Cr 29.9)

Paz e Graça!

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?