quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Batalha espiritual: organização do Império das trevas

Em Efésios 6 aprendemos como o impérios das trevas se organizam.
“Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra principados, contra potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” 
Sim, temos que lutar contra o império das trevas. Não é uma luta contra pessoas de carne e sangue. É uma luta contra um adversário altamente organizado. Derrotado no Calvário, mas ainda assim, organizado.



O Ap. Paulo deixou este versículo de ordem e alerta à igreja de Éfeso. Se está escrito que não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra principados... entendo que a seguinte leitura é bem lógica: temos que lutar contra principados... A ordem de que temos que lutar é esclarecedora. Pois, se temos que lutar, e não lutarmos, então pereceremos, mas se temos que lutarmos e de fato lutarmos então prevaleceremos contra o império das trevas. 


A análise e conhecimento do adversário é crucial numa luta. É exatamente essa a beleza deste trecho de Efésios  uma clara revelação da organização do nosso adversário. Veja como o Império das trevas se organiza e se prepare para a luta. Confiando na autoridade do nome de Jesus, você vencerá qualquer batalha!


Nossa luta é contra:


1. PRINCIPADOS


O original grego é archás, que significa líderes, reis ou majestades; território ou jurisdição de um príncipe ou país que dá título ao príncipe. 



Trata-se do alto escalão do Império liderado por Satanás. São demônios que exercem liderança sobre um determinado território. Curioso notar que o último significado aponta para um país (ou lugar) que concede o título ao principado. Uma clara alusão à lugares onde a própria população, talvez sobre a dominação de principados, sujeitam o lugar ao senhorio de algum “padroeiro”. 



Na Palavra do Senhor vemos um exemplo de como agem os principados e suas respectivas jurisdições. No livro de Daniel (cap. 10) o profeta estava orando e jejuando em busca de uma resposta de Deus. Essa resposta somente chegou no vigésimo primeiro dia da oração, e o anjo mensageiro explicou que já no primeiro dia foi liberada a resposta, mas, um demônio por nome de Príncipe da Pérsia estava o impedindo. 


2. POTESTADES



Esta palavra vem do grego exousias, que significa autoridade. As potestades ão demônios que estão sujeitos aos principados e recebem destes, autoridade para exercerem seus planos. Percebemos que no Evangelho de Lucas (10.19) os demônios, além de autoridade, também têm um certo poder.



Nosso triunfo sobre o mal é garantido pela Palavra do Senhor. Recebemos autoridade quando reconhecemos Jesus como nosso Senhor e Salvador. Recebemos poder quando somos batizados com o Espírito Santo:



“toda autoridade me foi dada no céu e na terra" (Mt 28.18)



“recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo” (At 1.8)



“Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios” (Lc 9.1)


A diferença entre autoridade e poder pode ser entendida com o trabalho de um policial. Para suas missões, o policial usa uma determinada roupa que lhe concede autoridade. Isso bastaria para resolver as questões criminais. Mas, sabemos que alguns indivíduos não respeitam a autoridade policial, é quando ele usa de seu poder incumbido e faz uso de armas. Assim, a autoridade concedida por Jesus é suficiente para todo e qualquer demônio não aparecer em nosso caminho, mas se algum se atrever a se indispor contra nós, podemos (e devemos) usar do poder concedido pelo Espírito Santo. Então, querido, com as armas que o Senhor nos deu nossa vitória é garantida!


3. PRÍNCIPES DAS TREVAS DESTE SÉCULO



Nos tempos em que a carta aos efésios foi escrita, o termo príncipe significava: título de oficiais da sinagoga ou membros do Sinédrio (Conselho que julgavam questões civis e religiosas). 



Os príncipes das trevas deste século é um grupo de demônios que, subordinados aos principados e potestades, agem em questões civis e religiosas. 



A sinagoga dos tempos paulinos eram locais de oração e busca da Palavra do Senhor, lugar que nos dias de hoje pode ser representado pelas igrejas locais. Este grupo de demônios tenta agir contra igrejas, levando-as ao comodismo, disputa, apostasia ou fechamento de portas. 



As questões civis eram em sua maioria disputas entre famílias. Veja, atento leitor, que existe uma classe demoníaca em que é ordenada a atuar contra as famílias, levando-as às disputas e enfraquecimento.



Devemos sempre batalhar em oração em favor de nossa igreja local e nossa família. Orando com fé para que toda casta de príncipes das trevas que atuam em igrejas e famílias sejam expelidas pelo Nome de Jesus:

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome expelirão demônios” (Mc 16.17)



4. HOSTES ESPIRITUAIS DA MALDADE, NOS LUGARES CELESTIAIS




Esta última classe de demônios, subordinados aos príncipes das trevas, cumprem ordem para fazerem maldades. O significado bíblico da palavra maldade nos dá entendimento dos objetivos destas hostes espirituais: aquilo que é mal, que não presta; perversidade, imoralidade, crime, pecado, ruindade.



  • · O QUE FAZER?


Se você, querido leitor, possui um terreno que é legalmente sua propriedade. Cercando-o, você coloca uma placa dizendo ENTRADA PROIBIDA. Você tem todo direito de colocar para fora quem entrar indevidamente. Sua família, sua igreja, sua cidade, sua nação deverão ser alvos de suas orações, são elas as placas de proibida entrada para o império das trevas. E se eles entrarem, então batalhe e coloque-os para correr em nome de Jesus. Temos uma arma eficaz para cada batalha, a PANOPLIA!

  • · PANOPLIA


Jesus nos explica como venceu o chefão do império das trevas. No Evangelho de Lucas (11.20-22) nosso Mestre deixou-nos uma parábola que ensina que para despojar uma casa, primeiro deve-se amarrar o valente da casa, tirando sua armadura. 



Somos os despojos desta casa. Para o Senhor nos tirar do domínio do mal, Ele primeiro amarrou o valente (o diabo) e tirou-lhe toda sua armadura.



A palavra grega usada para toda armadura é panoplia. Que somente vai aparecer novamente na Bíblia em Efésios 6.11, onde diz revesti-vos de toda armadura



Percebe, querido leitor, que toda armadura (poder e autoridade) foi tirada do valente e colocada à nossa disposição! 



Veja, que a armadura não foi colocada automaticamente em nós, o termo revesti-vos indica uma ação nossa, como uma roupa no cabide, que devemos decidir por usá-la. Revestir de toda armadura é uma questão de escolha. Entrar ou não na batalha contra o mal é uma escolha. 



Você pode ver o desenrolar da guerra espiritual acontecendo, com famílias em ruínas, casamentos desfeitos, igrejas locais em apostasia, criminalidade e marginalidade cada vez mais crescentes, cidades inteiras arrastadas à idolatria... uma verdadeira guerra espiritual em nossa volta, você vai ficar olhando... ou batalhando?


Que o Senhor dos Exércitos lhe vista de toda armadura para as batalhas espirituais,
Bp Erisvaldo Pinheiro Lima (ministrado em 15 de setembro de 2013).


Fonte de apoio:
Frank e Ida Mae Hammond, Porcos na sala, um manual prático de libertação.
Claudemir Pedroso da Silva, Dicionário e Estudos Bíblicos.