sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

4 princípios imutáveis de Gênesis

4 princípios imutáveis da criação do Senhor Deus
Gênesis 1-4

Os primeiros capítulos da Bíblia Sagrada contém princípios que não mudaram ao longo da jornada bíblica. A narrativa da primeira família nos mostram, pelo menos, 4 destes princípios. A essência e o fundamento daquilo que o Senhor Deus planejava ao homem pode ser notado nestes princípios. Veja, querido leitor, e permita que o Santo Espírito fale contigo:


  • Família
A criação do homem e da mulher envolveram ações diretas do Senhor Deus. Ao contrário do restante da criação, que foi criada a partir da palavra que o Senhor liberara (haja luz e houve luz), Adão e Eva foram criados pela própria mão e ciência de Deus. Adão com elementos da terra e Eva com elementos de Adão. Há algo muito importante nisso. Uma atenção e um cuidado a mais para a criação da primeira família. As únicas criaturas criadas pelas mãos do Senhor, Adão e Eva, com o objetivo de constituírem uma família. Que possamos, também, empregarmos toda nossa dedicação, cuidado e atenção, quando formos tratar de assuntos relacionados à família!

Observe que ao longo do segundo e terceiro capítulo de Gênesis, Deus vai dar várias instruções à Adão: "Deus os abençoou e lhes disse: frutificai, e multiplicai-vos"; "eis que vos tenho dado toda erva... para mantimento"; "todo animal do campo e toda ave do céu, trouxe a Adão, para este ver como chamaria"; "deixará o varão o seu pai e sua mãe e apegar-se-á à sua mulher e serão uma só carne".

Estas instruções mostram o quanto Deus acompanhava e ensinava o primeiro casal. Deus estava mesmo educando Adão e Eva. Uma boa quantidade de tempo e instrução foi empregada. Mas, perceba, querido leitor, que em se tratando dos filhos de Adão e Eva, Deus não os instruíram como fizera com seus pais. Deus ensinou muitas coisas a Adão e Eva, mas eram estes que deveriam ensinar a seus filhos. A obrigação de educar os filhos era dos próprios pais. Aquilo que Adão e Eva aprenderam com Deus, deveriam ensinar a seus filhos. Há um princípio imutável nisso, nos escritos do Novo Testamento, vemos que os ministros da igreja eram escolhidos, tendo, dentre outros, a administração do lar como critério (1Tm 3.4; Tt 1.6). Que possamos, enquanto pais, aprendermos muito com o Senhor, para podermos ensinar e educar nossos filhos no caminho que eles devem andar. A semelhança do que Deus fez com Adão e Eva, possamos empregar uma boa quantidade de tempo e instrução aos nossos filhos.

  • Obediência
O segundo princípio que vemos nos primeiros capítulos da Palavra de Deus é o da obediência. O princípio da obediência é bem simples. Ao quebrarmos, sofreremos suas consequências. Se Adão e Eva comessem da árvore da ciência do bem e do mal, morreriam. Deus disse: 

De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Na tentação de Eva há algo que precisamos observar. Compare a ordem que o Senhor liberou acima, com a resposta da primeira mulher:

... mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: não comereis dele, nem dele tocareis, para que não morrais.

Perceba que Eva acrescentou algo ao que o Senhor disse. Veja que Deus ordenou: "não comereis", porém Eva respondeu à serpente que "Deus disse: não comereis... nem tocareis". Parece algo insignificante, mas quando acrescentamos coisinhas a mais no que Deus realmente falou, estamos na beira da queda! Dessa resposta desencadeou as insinuações da serpente que levaram à desobediência de Eva, e depois de Adão. E com a desobediência veio a consequência. Este é um princípio que não mudou. O próprio Filho de Deus, já com seus discípulos, libera a declaração: "Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos  (João 14:15). Que possamos aprender com expulsão de Adão e Eva do Jardim do Édem que nossas desobediências continuam gerando terríveis consequências.


  • Ofertas
O ato de ofertar ao Senhor, parecia ser algo bem natural dos filhos de Adão. O texto bíblico diz:
"E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor"
"E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura"
Veja que estas ofertas não foram solicitadas por Deus, e nem o texto menciona uma data especial. Apenas diz que "ao cabo de dias" Caim e Abel levaram uma oferta ao Senhor. Um ato voluntário e fruto do relacionamento deles com o seu Senhor.

Se há uma normalidade no ato de ofertar dos filhos de Adão, há, também, um critério de avaliação da parte de Deus para receber essas ofertas. E isso é muito sugestivo. Deus avaliou as ofertas trazidas por Caim e Abel. As ofertas de Abel foram aprovadas, e as de Caim, não. Deus avalia ofertas! Gerações e gerações se passaram depois disso, e vemos nos Evangelhos (Lc 21 e Mc 12) o Filho De Deus diante da arca do tesouro, observando as ofertas que ali era depositadas. Ocasião em que, mais uma vez, Deus se atentou para a oferta da viúva. Que o Espírito Santo nos ensino esse princípio!


  • Natureza caída do homem
Este último princípio que iremos meditar, nos mostra que a natureza humana é pecaminosa. Depois do assassinato de Abel, Caim "saiu diante da face do Senhor". A segunda geração humana já se distanciando de Deus. Ele ainda teria um irmão, chamado Sete, mas a Bíblia num relata mais contato entre eles. De Sete nasceu Enos, terceira geração humana, e aqui sim, a Palavra vai relatar que "se começou a invocar o nome do Senhor". Dessa linhagem de Enos que vai nascer Noé e a terra vai passar pelo juízo divino. Mas é da outra linhagem, a de Caim que quero chamar atenção. Na sétima geração humana, da linhagem de Caim, a Palavra vai relatar que Lameque teve duas mulheres, antes não há relato de bigamia. E ainda, que esse Lameque fazia menção de que Caim seria vingado 7 vezes, mas ele, Lameque, 70 vezes 7. Lembre-se, caro leitor, que essa expressão foi usada no diálogo entre Pedro e o Senhor Jesus (Mt 18), mas num contexto de perdão. 

Quero enfatizar mais uma vez. Na primeira vez que a expressão "70 x 7" é usada na Bíblia, a intenção é de vingança. Enquanto que quando o Senhor Jesus a usa, a intenção é de perdão. Veja então que o primeiro "70x7" está relacionado com a situação caída do homem. Geração após geração mostrando o quanto que a natureza do homem é vingativa, pecaminosa. Mas o "70x7" é mencionado mais uma vez na Bíblia, agora pelo Senhor Salvador da humanidade, para perdão.

A natureza caída do homem é um princípio registrado nas primeiras páginas da Bíblia Sagrada. Mas, para nossa redenção, a missão de salvação dada pelo Pai ao Filho é executada nas primeira páginas do Novo Testamento. Os filhos de Adão herdaram sua corrupção, mas o Filho de Deus trouxe a definitiva salvação. Enquanto que os filhos de Adão se distanciaram do Senhor, o Filho de Deus trouxe, mais uma vez, os homens para perto. Se a natureza do homem é "70x7" de vingança, a de Cristo é de "70x7" de perdão.


Nos humilhemos, pois, diante dEle, e rendemos honra e glória. Que isso seja imutável em nós.

Que a salvação gratuita do Filho de Deus seja imutável na sua vida.

Bp Erisvaldo Pinheiro
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Mensagem ministrada em Novembro de 2016