terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Batalha Espiritual: Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas

Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas e suas influências no nosso dia-a-dia

Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas e suas influências no nosso dia-a-dia

Há uma realidade espiritual invisível e ativa que atua em nosso meio (2Rs 6.15-17). Isso nos deixa em meio à uma luta espiritual, onde nossa perseverança em oração e o avanço no conhecimento da Palavra do Senhor podem realizar proezas (Dn 11.32). Uma das ações do inimigo é aprisionar pessoas, deixando-as em situações deploráveis (Lc 13.16). Por isso, o Senhor Jesus se manifestou para tirar pessoas das trevas e conduzi-las para sua luz (At 26.18, 1Jo 3.8). Isso diferencia o Reino de Luz e o Império das Trevas:

  • Reino de Luz:

Formado pelos anjos que não participaram da rebelião do Luzeiro. São os anjos fiéis que permaneceram subordinados ao Senhor. São mais elevados que o homem em dignidade (Sl 8.6). São chamados de santos pelo seu caráter (Jó 5.1), pois foram criados em santidade (Jd 6). Não se casam e nem se reproduzem (Mt 22.30, Mc 12.25). Não podem morrer (Lc 20.36). Possuem considerável poder (2Pe 2.11). São mensageiros de Deus à serviço da salvação e dos servos do Senhor (Hb 1.14, Ap 22.9).

São organizados em pelo menos três categorias:
QUERUBINS, guardiões ligados à santidade de Deus, com rosto de homem, rosto de leão, rosto de boi e rosto de águia (Gn 3.24, Ez 10.1-22, Ex 25.18-22, Ap 4.6-9);
SERAFINS (consumir com fogo), ligados à adoração de Deus (Is 6.1-7, Ex 1.5-14). 
ARCANJOS: guerreiro(s) que executa tarefa especial (Jd 9, Dn 10.13, Ap 12.7-8, 1Ts 4.16).

Na Bíblia, aparece apenas os nomes de Miguel e Gabriel. Os livros apócrifos acrescentam Rafael e Uriel.

  • Império das trevas  

Formado pelo anjo Luzeiro e pelos outros anjos caídos que participaram de sua rebelião. Seu privilégio inicial, seu pecado e a consequente punição:
Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado.
Você foi ungido como um querubim guardião, pois para isso eu o determinei. Você estava no monte santo de Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes.
Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se achou maldade em você.
Por meio do seu amplo comércio, você encheu-se de violência e pecou. Por isso eu o lancei em desgraça para longe do monte de Deus, e eu o expulsei, ó querubim guardião, do meio das pedras fulgurantes.
Seu coração tornou-se orgulhoso por causa da sua beleza, e você corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor. Por isso eu o atirei à terra; fiz de você um espetáculo para os reis.

Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.

Nomes:
Satanás – significa acusador (Jó 1:6)
Destruidor – hebraico: Abadom, grego: Apoliom (Ap 9:11)
Belzebu – significa rei das moscas (Mt 12:24)
Belial – significa imprestável (2 Co 6:15)
Inimigo – ele nunca está do nosso lado (1 Pe 5:8)
Diabo - significa mau, difamador (Mt 4 e Lc 4)
Lúcifer - significa luzeiro, filho da alva (Is 14.12)

Seus títulos:
maligno (Jo 5.19)
tentador (1Ts 3.5)
príncipe deste mundo (Jo 12.31)
deus deste século (2Co 4.4)
príncipe das potestades do ar (Ef 2.2)
acusador (Ap 12.10).

Suas representações:
serpente (Ap 12.9)
dragão (Ap 12.3)
anjo de luz (2Co 11.14)

Tem personalidade homicida, mentirosa e adversária (Jo 8.44, 1Pe 5.8).

Possui limitações (1Jo 4.4, 5.18, Pv 18.21, Ef 5.19-21, Tg 4.7). Não consegue ler nossa mente (Sl 139). Não pode contra a igreja do Senhor (Ef 6.11, Lc 10.19, Mt 16.18).


  • Satanás

Significa “aquele que resiste, que se opõe, que ataca”. Sua ação é pouco mencionada no Velho testamento. E em alguns casos, sua ação era ordenada pelo próprio Deus. Veja estes versículos:

E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele. 1Sm 16.23

Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel.

E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor.
Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?
Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do anjo.
Então respondeu, aos que estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniqüidade, e te vestirei de vestes finas.

E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.

Repare que nos casos de Jó e Saul, a ação de satanás vinha das ordenanças de Deus. Já nos casos de Davi e Josué, satanás aparece em cena influenciando e se opondo contra os líderes de Israel.

Ainda assim, a mais que esses trechos acima, pouco é mencionado da ação de satanás no Velho Testamento.



  • Diabo

Significa “mau, difamador”.

No Velho Testamento não aparece a palavra diabo. O significado do seu nome parece um pouco mais forte que o significado de satanás. Nisto está a diferença entre satanás e diabo. Esse conceito de ‘mal’ somente é revelado no Novo Testamento. Jesus Cristo revelou claramente a verdadeira identidade de satanás, como fonte e origem do mal na terra. Cristo faz essa diferenciação na tentação (Mt 4 e Lc 4). Nestes trechos, Cristo deixa claro que o mal provinha do diabo e que deveria ser combatido pela Palavra. Lembre que aos discípulos, o Senhor Jesus ensinou a orar pedindo ‘livra-nos do mal’. Esse tipo de ensino e conceito ainda não havia no Velho Testamento. Inclusive quando Cristo enviou seus discípulos para a obra, Ele promete dar poder para que nenhum mal não cause dano algum (Lc10.19).

  • Equilíbrio bíblico
O segredo para o sucesso na batalha espiritual é encontrar o equilíbrio bíblico. A luta contra o pecado é dentro de si mesmo (Rm 6), e contra o diabo (Ef 6.10-18). Precisamos encontrar esse equilíbrio para não darmos ‘ibope’ ao diabo, e muito menos sermos negligentes com suas ações opositoras contra o povo de Deus.

Veja que em Lc 4, logo após a tentação no deserto, O Senhor Jesus operou dois milagres. Ele curou um endemoniado em Cafarnaum, que inclusive estava dentro da sinagoga, e curou a sogra de Pedro. Repare que o mal na vida do primeiro homem era oriunda da ação do diabo, mas a enfermidade da sogra de Pedro é chamada apenas de febre, sem nenhuma alusão à ação do diabo. Essa diferenciação é importante. Há enfermidades oriundas de ações malignas. E também há enfermidades oriundas de causas simples e naturais. Que o Espírito nos ensine a sermos equilibrados, não negligentes e não alarmistas.

Deus nos abençoe nessas batalhas diárias!

Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Estudo ministrado na Escola de Profetas em Outubro de 2016
Comunidade Evangélica Arca da Aliança

Fonte de estudos:

Robson Rodovalho - Batalha Espiritual - Editora: Sara Brasil