segunda-feira, 6 de maio de 2013

A mulher e o dragão em quatro batalhas

A terra ajuda a mulher do que saía da boca do grande dragão
Apocalipse 12

Passamos por batalhas espirituais quase que diariamente. São lutas e mais lutas em que nossas forças são testadas e nossa fé colocada em cheque. Nestes momentos, os fiéis se perguntam se vão conseguir vencer, ou o que teria feito para merecer isso. Nesta mensagem, percebemos a origem e o porquê destas batalhas que são tão frequentes nos dias de hoje, além de como lutar e se sair vencedor em qualquer batalha espiritual.

Nesta revelação do livro do Apocalipse em seu capítulo doze, com linguagem forte, vemos dois personagens descritas. A primeira é descrita como uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz. O mistério do sol e da lua, lembramos do sonho de José que representava seu pai Israel e sua mãe Raquel. Mas é o detalhe da coroa de doze estrelas que percebemos quem esta mulher representa. Uma vez que o Velho Testamento gira em torno da história de um povo escolhido e separado por Deus, e que o próprio Deus dividiu este povo em doze tribos, e que o Novo Testamento narra como Jesus escolheu para servi-lo doze homens que foram trabalhados para serem doze apóstolos, então, vemos que esta mulher pode ser representada por Israel, nação de Deus.
   
Outro detalhe que chama a nossa atenção é o fato desta mulher estar sofrendo para dar a luz à um varão.  Este varão é descrito como aquele que vai reger todas as nações e que foi arrebatado para o trono de Deus. Logo, o menino na visão representa Jesus. Já sou consolado neste momento em saber que o sofrimento da mulher era por que ainda não tinha dado a luz, o Filho ainda não tinha vindo, por isso, creio que boa parte dos sofrimentos de alguns é por que a luz de Jesus ainda não fora acessa. Acenda a luz de Jesus na sua vida e veja sua vida mudar!

O segundo personagem da visão, um grande dragão vermelho, é descrito no versículo nove como a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo mundo. Logo, na cena temos o diabo esperando de Israel nascer o Filho de Deus para lhe tragar para dar início a primeira de quatro batalhas:

  • 1ª Batalha



Penso que seria um momento único na história em que o diabo poderia fazer qualquer mal contra o Cristo, que neste momento estaria reduzido a um recém nascido, aparentemente indefeso. Mas o texto diz que o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono. Simples e rápido! Quem esperava uma batalha entre o grande dragão contra o pequeno Filho de Deus ficaria frustado. Uma derrota para Satanás. Um a zero para o bem!

Não imagine Jesus nascendo numa manjedoura, na companhia de animais e pessoas simples, longe da cidade, como mero acaso. Foi uma bela estratégia de Deus para confundir o grande dragão vermelho para ele não tragar o menino. Lembre-se que quando a criança nasceu, o rei Herodes mandou matar todas as crianças de até dois anos, um ato louco, mas movido, acredito, pela fúria deste dragão derrotado.
   

  • 2ª Batalha


A partir do versículo sete, o texto diz que houve batalha no céu. A segunda batalha do dragão é contra Miguel e seus anjos. Mas, novamente o dragão perde, e agora, ele é precipitado na terra. Apesar da descrição forte e imponente do grande dragão vermelho contamos até agora sua segunda derrota. No placar, o dragão já está perdendo por dois a zero!

  • 3ª Batalha

Depois de perder para o Filho e para Miguel, o grande dragão vermelho vai agora perseguir a mulher que dera à luz o varão. A mulher, que simboliza Israel do Antigo e do Novo testamento, é ajudada. Á ela é dada duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto. Deserto é sinônimo de escassez, de provação e dependência de ajuda. Aqui, a mulher é levada para o deserto como uma outra bela estratégia do Senhor, para que ela ficasse fora da vista da serpente. Não reclame quando você estiver no deserto da vida, onde há escassez e provação, não murmure, pois é o próprio Senhor que te leva pra lá, pois no deserto, você vai estar fora da vista da serpente. Proteção de Deus para você.

Observe no texto que a serpente abre a boca e lança um rio contra a mulher. Tem dias em que estamos exatamente vivendo isso, sentimos como se estivéssemos afogados em tristeza e angustia. Tudo que sai da boca da serpente é mentira e engano. Mas fico feliz em ver o escape que a mulher tem. A terra ajudou a mulher; e a terra abriu a boca e tragou o rio que o dragão lançara de sua boca. Difícil de entender? Calma, quando estiveres no deserto, não precisa entender como virá o socorro de Deus não, apenas confie que Ele virá para te ajudar.

Não perca as contas, com mais esta derrota já são três vezes em que o dragão é derrotado. Mas vamos agora para a quarta, atual e decisiva batalha.

  • 4ª Batalha

A última batalha relatada no capítulo doze de Apocalipse é definida como uma guerra! Não é por menos, depois de perder para o Filho, para Miguel e para a mulher, o grande dragão vermelho agora vai guerrear contra o resto da semente da mulher. Mas quem seriam estes? O texto informa que estes são os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus Cristo.

Querido leitor, você guarda os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus Cristo? Se sim, então saiba que você está envolvido nesta última batalha. O grande dragão vermelho agora vai guerrear contra você. E sua responsabilidade é aumentar este placar que até agora está sendo de três a zero, para vergonha da serpente. A questão é, agora que a continuação desta batalha está em tuas mãos, você vai aumentar esta vantagem, ou vai deixar o grande dragão vermelho "abrir o placar"?

Pense nisso...


As lutas espirituais de um fiel é consequência desta grande batalha há muito tempo iniciada. Escolhidos do Senhor, o Deus que você serve é tão fiel, que no próprio texto sagrado ficou registrado como Miguel e seus anjos venceram este dragão. Veja o versículo onze e aprenda como batalhar:
  1. Pelo sangue do Cordeiro - Diante do sangue do Cordeiro, o diabo para. Este precioso e poderoso sangue promove também remissão e purificação de nossos pecados. Devemos reconhecer nossas fraquezas e nos lavarmos com o sangue do Cordeiro
  2. Por causa da palavra do testemunho que deram - Veja aqui, amado leitor, a importância do testemunho. Há um louvor muito lindo que nos desafia com a reflexão "quem é você quando ninguém vê?" O bom testemunho tem este poder de parar o diabo. O bom testemunho fala por si só, é uma pregação sem palavras. 
  3. Por estarem crucificados juntos com Ele - Estar crucificado com Cristo é morrer para o mundo. É viver os caminhos que Jesus percorreu para ser levado à crucificação da carne, do pecado e do mundo. É ser fiel até a morte.
     Medite e coloque em prática esta Palavra, e saiba que nesta batalha o placar sempre estará favorável ao fiel de Deus. 


Que o Senhor dos Exércitos te cubra de unção, força e poder para a batalha!
Bp Erisvaldo Pinheiro (ministrado em 05/05/2013)