Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Escola de Profetas: Ministros da Palavra (1ª aula)



Ministros da palavra no Antigo Testamento: os profetas


Escola de Profetas: Ministros da Palavra  (1ª aula)


Deus usa um método para proclamar sua Palavra. Ele usa homens. Embora Deus tenha se servido de anjos para falar ao seu povo, sua preferência é usar homens. Esses homens devem ser devidamente tratados e quebrantados para que a mensagem seja pura. Qualquer acréscimo humano, a mensagem perde sua eficácia. Assim é o serviço do ministério da Palavra, servir as pessoas com a Palavra pura de Deus. ‘Ministério’ aponta para a função, enquanto ‘ministro’ fala sobre o indivíduo. O ministério da Palavra ocupa um lugar importante na obra de Deus.

Em toda Bíblia podemos encontrar três tipos diferentes de pessoa, as quais Deus usa para pregar a Palavra: 


  1. No Antigo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos profetas; aí temos o ministério dos profetas
  2. Na peregrinação terrena do Senhor Jesus, a Palavra de Deus tornou-se carne; assim, temos o ministério do Senhor Jesus. 
  3. No Novo Testamento a Palavra de Deus é proclamada pelos apóstolos; como resultado, temos o ministério dos apóstolos. 

Os ministros da Palavra no Antigo Testamento: Os profetas


No Antigo Testamento Deus se serviu de muitos homens para proclamarem sua Palavra. O Espírito Santo compartilhava sua Palavra a um determinado indivíduo em particular e depois ‘controlava’ aquela pessoa para que não houvesse erros quando ela propagasse a mensagem da parte de Deus.

Pessoas como Balaão, Saul e Miriã foram chamados de profetas. Suas profecias eram de Deus. Mas quando falavam por si só, suas palavras não eram reconhecidas como de Deus. Enquanto estavam sob a revelação, falaram a Palavra de Deus; entretanto, assim que falavam por si próprio, manifestaram pecado, perversidade e trevas. Vejam:

  • Balaão e sua posição diante das honrarias: Nm 22.1-20; sua profecia pura Nm 23.18-24; seu caminho perverso, compare Nm 25.1-3 e Nm 31.16 
  • Saul no início de sua jornada 1Sm 10.10 e já desviado e fora do propósito de Deus 1Sm 19.20-24 
  • Miriam e sua importante participação como profetiza Êx 15.20-21; e a consequência de falar impensadamente Nm 12.1-15 

Apesar disso, temos no Antigo Testamento homens como Moisés, Isaías e Jeremias (e outros) que se destacaram como porta vozes de Deus de uma forma mais avançada que em Balaão. Deus ainda controlava suas profecias, para serem a pura Palavra de Deus. Mas quando falavam por si próprios, não puderam ser acusados de erros, suas palavras pessoais eram reconhecidamente como vinda de Deus. Repare:

  • Moisés e sua ministração em forma de livro Dt 1.1; e suas palavras próprias Nm 11.27-29 compare com 1Co 14.1,3 
  • Jeremias e uma de suas fortes profecias 31.31-33 e uma de suas expressões de tristeza: o livro de Lamentações

Pense nisso...


No Antigo Testamento, Deus levantou homens e mulheres para proclamarem sua palavra. Deus se serviu de pessoas. Deus controlava de forma direta a proclamação de sua palavra. Homens como Moisés e Jeremias, mesmo quando não estavam com o impulso direto da proclamação da mensagem do Senhor, suas palavras não tiveram impurezas. Diferente de outros como Balaão, que foi usado pelo Senhor e proclamou a palavra de Deus, mas quando se viu só, suas palavras pessoais foram de engano e perversidade. 


NOTA: Querido leitor, este é o primeiro de uma série de estudos que serão intitulados Escola de Profetas. Trata-se de um projeto que fomos direcionado pelo Santo Espírito do Senhor para desenvolvermos junto aos obreiros. Nas primeiras aulas, estudamos, além da Bíblia Sagrada, o livro de Watchman Nee descrito abaixo. Para aqueles que serão tocados pelo Senhor para meditarem nesses estudos, aconselho que comprem o livro.  



Fontes de pesquisas:
O Ministério da Palavra de Deus - Watchman Nee -  Editora Clássicos


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Comunidade Evangélica Arca da Aliança
Ministrado em Setembro de 2014

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?