Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Testemunho

Eu tinha 13 anos quando um amigo de escola (Giancarlos) me falou de Jesus. Confesso que no início da conversa eu fiquei irritado. Ele perguntava se eu orava ou rezava, seu acreditava em Cristo ou em Maria, isso realmente não me chamou atenção. Mas ele falou algo que despertou meu interesse. Disse-me que quando aceitou Jesus o clima com a mãe dele melhorou, que as contendas dele com a família tinha diminuído muito, que tinha paz agora. Isso realmente me fez querer essa paz para mim também. No mesmo dia fui para a mesma igreja dele. Não tinha culto, era final de ano e a igreja estava em vários grupos ensaiando apresentações de natal. Fui bem recebido por um jovem chamado Carlos, que sorriu quando eu perguntei "como é esse negócio de aceitar Jesus? Eu quero isso..." 

E foram três anos de muito aprendizado, interrompidos quando eu mudei para outra cidade. Nesta igreja, a Igreja Batista Monte Horebe, servíamos intensamente ao Senhor. Os jovens tinham um grupo de evangelismo muito dedicado. Éramos assíduos na EBD, onde chegávamos uma hora antes do horário inicial para ficarmos em oração. Éramos liderados pela Normeide, Sérgio, Claudio... bençãos de Deus na minha vida. No discipulado fui incentivado a ler a Bíblia. E fiz isso... quando não estava na escola, eu estava trancado no meu quarto lendo a Bíblia e conhecendo o Deus daquelas histórias. Durante minha adolescência, era esse o meu prazer: conhecer o Deus da Bíblia em sua palavra.

Como eu disse, mudamos para outra cidade. Até tentei continuar servindo Deus ali, mas a distância me prejudicou, pelo menos eu acho que prejudicou... hoje eu acho que eu poderia ter tentado mais. Ainda tentei procurar outras igrejas. E cai no erro de procurar uma parecida com a que eu congregava. Queria que tivesse um Ministério de louvor parecido, um grupo de jovens parecido, uma EBD parecida... Virei um 'sem igreja'. Acabei esfriando cada vez mais... E virei um 'desviado'. E isso durou dez anos.

Foi nesse período que conheci a Cirlene. Casamos e tivemos nossa primeira filha. Nesses dez anos de afastamento eu bebia muito. Houve uma época em que minha casa ficava cheia de 'amigos'. Geladeira cheia de bebidas e carne na churrasqueira e um monte de 'amigos' na minha casa. Comecei a ter amnésia alcoólica. Não durou muito para afetar meu casamento. Em 2006, minha esposa pediu a separação. 

Achei que eu ficar bem. Que iria me divertir. Mas foi uma fase de escassez e não tive a companhia de nenhum daqueles amigos. Fiquei me sentindo só.

Enquanto eu ficava cada vez mais frustrado e sentindo falta da minha filha, minha esposa teve um encontro com Deus. Nos primeiros minutos de 2007, ela entregava sua vida ao Senhor. Eu não sabia disso ainda, mas ao conversar com ela por telefone eu senti uma mudança nas palavras dela, senti uma paz vindo dela. Mais uma vez desejei ter essa paz em meu coração.

Após alguns meses, reatamos nosso casamento. Ela já servindo ao Senhor, levou algumas irmãs na nossa casa para orar por mim. Mais uma vez, confesso que fiquei irritado. A conversa gerou entorno de que deveria dizer 'aceito' ou 'nego' Jesus. Não disse nada. Mas foi quando uma das irmãs (Ms Lurdes) orou em mim que algo mexeu em meu coração. Na oração, acredito que Deus estava falando comigo e dizendo 'olha de onde eu te tirei'. E nessa hora, eu me recordei de um trágico acidente que tinha acontecido alguns meses antes, onde um trator em que eu estava havia tombado, deixando uma vítima fatal. Passou um filme na minha cabeça e eu desejei voltar aos pés do Senhor.

Acompanhei minha esposa na igreja dela, na Comunidade Evangélica Arca da Aliança. Era um culto dominical chamado Manhã com Deus. Após o culto, uma amiga da minha esposa pegou em minha mão e me levou na frente do pastor que havia ministrado a palavra, era o Pr Charles, e pediu que ele falasse comigo. Ele conversou por uns cinco minutos, e uma frase me acompanha até hoje, ele disse 'dê apenas o primeiro passo, que o segundo Jesus dará por você e, se preciso for, Ele até te leva no colo'. Aceitei Jesus de novo!  

Ainda tive um período de libertação. Eu levava minha esposa na igreja e voltava para casa. Teve dias em que eu a levava e ainda ia beber. Eu era o típico esposo que levava a mulher na igreja e na hora contada ia buscá-la e ai dela se o culto não tivesse acabado! Nessa fase eu ficava mais no estacionamento dentro do carro do que dentro da igreja. Foi o ministro de louvor, hoje Pr Rafael, que foi usado por Deus para me tirar do carro. Ao me ver ali, ele saía de dentro da igreja para ficar conversando comigo. Eu fiquei constrangido e acabei ficando logo dentro da igreja.

Nessa fase, eu cuidava de uma rádio escolar e preparava as sequências de uma programação romântica numa rádio comunitária. Meu pc tinha 20Gb de músicas! Era muita coisa para época. Criei uma pasta para colocar os hinos que eram louvados na igreja. Descobri também que os hinos que eu escutava na adolescência podiam escutados na internet. Revivi bons momentos louvando com os hinos que eu escutava na adolescência, Tony Sabeta, Waldecy Aguiar, Mattos Nascimento, Aline Barros, Voz da Verdade... e fiquei impressionado com tantos discos o Voz da Verdade já tinha lançado! Fiquei impressionado e envergonhado com tanto tempo que tinha perdido. Mostrei esses hinos antigos para minha irmã e logo ela se rendeu ao Senhor. Foi minha primeira alma. Passei a escutar somente a pasta de hinos que louvavam ao Senhor e acabei deletando as outras. Voltei a ficar horas e horas na presença do Senhor e o buscando em sua palavra, entristecido pelo tempo perdido e com vontade de fazer a obra. Ouvia sempre o Senhor dizer pelos seus profetas tenho pressa contigo!

Numa determinada EBD, o professor faltou e fui convidado a ministrar a aula para a classe de jovens. Naquela semana eu havia meditado nas semelhanças entre o livro de Daniel e Apocalipse. Foi minha primeira oportunidade na igreja. Algum tempo depois, eu lideraria aquele grupo de jovens por três intensos anos. Com a transformação que Deus fez no meu casamento, passamos, também, a ministrar para casais. 

Aprendi e ainda aprendo muito com as pessoas que o Senhor colocou na minha carreira na fé. Vidas preciosíssimas como a Bp Carla e seu esposo Luciano, Bp Rosacleide, Ms Maria, Ms Lusimar e claro, meus pastores, o Ap Jucélio Santos e Bp Cleide Santos!

Em 2012, meus pastores foram direcionados pelo Espírito do Senhor e me incumbiram com a missão de pastorear nossa filial de Samambaia Sul-DF. 


Este é meu testemunho, caro leitor, deixei de beber e ouvir músicas mundanas. Algo simples para muitos, mas para mim foi doloroso. Foi como o 'corte sua mão' que nosso Senhor ensinou. Vi que vale a pena. Aprendi a ter um leal e bom amigo, Jesus. Aprendi que Ele restaura casamentos. E que Ele dá uma nova chance.  





   

Apóstolo Jucélio Santos e Bispa Cleide Santos


Unção do bispado



Uma família no projeto de Deus

Comunidade Evangélica Arca da Aliança (sede) - QUADRA 112 CONJUNTO 01 LOTE 11 RECANTO DAS EMAS -DF

Comunidade Evangélica Arca da Aliança - Filial de Samambaia-DF - Qn 514 Lote 01- 
Fone (61) 9159-4553

                                       

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?